Pub

O concelho de Tavira, no qual mais de 10% da população residente é de origem estrangeira, foi no verão passado fustigado pelo grande incêndio que devastou áreas florestais e destruiu casas, situadas na serra.

Segundo disse à Lusa o presidente da autarquia, Jorge Botelho (PS), o objetivo da ação é também ajudar os residentes estrangeiros a compreenderem melhor as organizações de segurança, os serviços que prestam e a forma como acioná-las em caso de emergência.

"A ideia é ajudar as pessoas a estarem prevenidas, fazendo deste um destino turístico mais seguro, com a consciencialização da comunidade estrangeira", afirmou Jorge Botelho, frisando que a maior parte da comunidade vive na serra.

Apesar de os índices de criminalidade no concelho terem registado uma diminuição, segundo o autarca, é importante que a comunidade estrangeira esteja informada, para transmitir também esses ensinamentos aos turistas.

"Uma população informada é mais segura. E se todos souberem como reagir e a quem ligar numa situação de risco, a comunidade fica mais bem preparada para casos de emergência", sublinhou.

Na ação participam os comandantes da GNR e da PSP de Tavira, o comandante distrital operacional, a chefe de gabinete do Turismo do Algarve, o vice-cônsul britânico e o presidente da Safe Communities Algarve.

O seminário sobre segurança das comunidades estrangeiras residentes em Portugal realiza-se hoje, às 16:00, na biblioteca municipal Álvaro de Campos, em Tavira.

Lusa

Pub