Pub

Fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) disse à agência Lusa que o avião anfíbio, um “air tractor fair boss”, tripulado por uma pessoa, amarou devido a um problema técnico, na albufeira do Roxo, entre as localidades de Beja e Aljustrel.

"O piloto saiu pelos seus próprios meios", relatou à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja, indicando que o alerta foi dado às 13:50.

O avião participava nas operações de combate ao incêndio que lavra desde quarta-feira em Cachopo, Tavira, em que também já opera uma aeronave espanhola.

Segundo a ANPC, o incêndio continua ativo com quatro frentes.

O fogo deflagrou cerca das 14:00 de quarta-feira, em Catraia, na freguesia serrana de Cachopo, mantendo-se ativo há mais de 24 horas.

Os bombeiros do Algarve foram já reforçados com equipas de Beja, Évora e Setúbal, a que se juntaram cinco pelotões militares.

Lusa

Pub