Pub

A campanha mobilizou cerca de 3.000 voluntários, que recolheram as contribuições realizadas nos 140 supermercados onde foi organizada a recolha. Os bens alimentares serão distribuídos localmente, já a partir da próxima semana, a 15.074 pessoas com carências alimentares, através de 73 Instituições de Solidariedade Social previamente selecionadas.

A nível nacional, o Banco Alimentar Contra a Fome recolheu, durante os dias 26 e 27 de maio, 2.644 toneladas de alimentos, valor que “ultrapassa todas as expectativas” já que “os resultados excederam em 13,7% os atingidos no ano passado por esta altura do ano”, noticia o Banco Alimentar no seu site oficial.

“As quantidades de géneros recolhidos e o número extraordinário de voluntários envolvidos mostram que as pessoas responderam ao apelo e quiseram demonstrar que, apesar da profunda crise económica que afeta tantas famílias portuguesas, não se conformam com a situação e estão disponíveis para reagir e para ajudar a minorar as dificuldades. Os portugueses querem e podem, na medida das suas possibilidades e quando os projetos são claros e mobilizadores, contribuir de uma forma construtiva, coesa, cívica e solidária para a resolução dos problemas”, afirmou Isabel Jonet, Presidente da Federação dos Bancos Alimentares Contra a Fome.

Desde dia 24 de maio e até 3 de junho, os portugueses podem ainda contribuir para os Bancos Alimentares Contra a Fome através da plataforma online de recolha de alimentos, disponível no site http://www.alimentestaideia.net/.

Esta plataforma permite comprar na Internet um conjunto de produtos alimentares para ajudar as famílias e cujo pagamento pode ser feito por Multibanco ou Visa.

Liliana Lourencinho

Pub