Pub

No Algarve, o Banco Alimentar presta assistência a cerca de 80 instituições de solidariedade social algarvias que assistem cerca de 16 mil pessoas carenciadas e a campanha agora realizada contou com cerca de 2000 voluntários.

A FOLHA DO DOMINGO constatou que muitos destes voluntários estão ligados à Igreja católica, uma colaboração efetiva que tem vindo a crescer nas últimas ações Grande parte desta mão-de-obra é proveniente de grupos ou movimentos como o Corpo Nacional de Escutas (CNE), mas também das paróquias e de outras organizações e instituições, pois muitas são também beneficiárias dos alimentos provenientes do Banco Alimentar que distribuem por muitas das pessoas que assistem regularmente.

O Banco Alimentar explicou já que as 2 309 toneladas de alimentos recolhidas nos supermercados não compensam o aumento das necessidades.

A presidente da instituição, Isabel Jonet, disse hoje à Agência Ecclesia que o crescimento de 14,9% nos bens obtidos face à campanha de maio de 2010 “não é suficiente” para as solicitações que chegam ao Banco Alimentar “porque se tem registado um grande acréscimo dos pedidos”.

A campanha realizada em novembro de 2010 obteve mais de 3 250 toneladas, valor que constituiu um recorde e que é 40% superior ao recolhido este sábado e domingo, mas a responsável salienta que o resultado “é muito positivo, atendendo à época que se vive”: “Estamos num período de crise e muitas famílias passam por dificuldades”.

No entender de Isabel Jonet, as campanhas realizadas nos supermercados “são muito importantes” para recolher bens que não têm excedentes de produção “e também para sensibilizar as pessoas para a realidade da pobreza e das carências alimentares”.

Os produtos angariados em mais de 1 500 superfícies comerciais vão começar a ser entregues a partir da próxima semana a quase duas mil instituições de solidariedade, assinala o site da instituição.

A campanha mobilizou 31 900 pessoas, que receberam, transportaram e arrumaram os alimentos nos armazéns dos 19 Bancos Alimentares, o que constituiu “a maior ação de voluntariado organizada regularmente em Portugal”.

No Ano Europeu do Voluntariado, que se assinala em 2011, esta “adesão entusiástica” mostra que “a ação conjunta de todos os agentes de solidariedade gera resultados muito superiores aos que seriam obtidos se cada um deles resolvesse agir de forma isolada”, refere o Banco Alimentar.

A recolha de alimentos continua a decorrer pela internet até domingo, depois da inauguração, esta quinta-feira, de um novo portal que permite ao doador a possibilidade de escolher alimentos e de os pagar eletronicamente.

Até às 11h15 desta manhã foram oferecidos através deste site mais de 15 mil litros de leite, 6 mil de azeite e 5 600 de óleo, além 6 200 kg de açúcar, 1 500 de atum e 4 150 de salsichas.

A plataforma, que resulta de um projeto solidário com as empresas Microsoft e Link Consulting, “caracteriza-se por uma grande simplicidade e acesso ao mais baixo preço do mercado a um conjunto de produtos alimentares essenciais para ajuda às famílias”.

Após selecionar os géneros e quantidades que pretende oferecer, os interessados pagam através do site do seu banco ou numa caixa Multibanco.

Até domingo continua igualmente a iniciativa "Ajuda Vale", que consiste na aquisição e entrega de vales com produtos das cadeias Dia/Minipreço, El Corte Inglés, Jumbo/Pão de Açúcar, Lidl, Continente e Pingo Doce.

Os doadores podem também contribuir através das 3 900 lojas aderentes à rede Payshop, mediante uma doação em dinheiro que é convertida em leite.

Em 2010 o Banco Alimentar beneficiou 319 mil pessoas, especialmente desempregados, idosos, crianças e famílias desestruturadas, “os grupos mais atingidos pela situação de forte agravamento da situação económica”.

Redação com Ecclesia

Pub