Pub

D. Manuel Quintas disse, na homilia da Eucaristia de ação de graças pelos 50 anos de sacerdócio do padre Manuel Leitão Marques a que presidiu ontem ao final da tarde na igreja de Alvor, que é preciso “regularmos a nossa vida e fundamentarmos a nossa existência em princípios e valores essenciais e fundamentais, em princípios éticos a todos os níveis: nas nossas opções, nas relações de trabalho e nas empresas”.

“Já ouvimos tanta gente dizer que a crise que atravessamos serve também a esta falta de ética na vida e nas empresas…”, alertou o prelado, criticando “situações em que não se respeita os princípios mais elementares”. Como exemplo, e numa clara alusão ao mediático caso das escutas do tabloide britânico ‘News of the World’, D. Manuel Quintas criticou os “meios de comunicação social que obtêm as informações de maneira fraudulenta, que não respeitam a privacidade dos outros e que usam de todos os meios para fazer dinheiro”.

“Onde é que está a capacidade de distinguir o bem do mal?”, questionou o prelado, advertindo: “parece que o mal, se for praticado por muitos, já se transforma em bem”.

D. Manuel Quintas, que pediu oração pela capacidade de distinguir o bem do mal, exortou a “procurarmos, assumirmos e seguirmos valores e critérios de vida” para “darmos valor àquilo que vale qualitativamente e que nos realiza como pessoas, a nível individual, social e familiar”.

Samuel Mendonça
Pub