Pub

D. Manuel Quintas falava na homilia da tomada de posse do novo pároco de Santa Bárbara de Nexe, evidenciando que “o facilitismo, que muitas pessoas exigem dos párocos, não leva a uma verdadeira consciência do sacramento que pedem ou que, por bondade, lhe é concedido”.

O prelado evidenciou que “não faz sentido que uma pessoa deixe a sua paróquia e vá a outra só porque vai ser mais fácil” conseguir que o pároco lhe conceda administrar o sacramento. “Que lucro tira com isso? Receber sacramentos sem saber o que está a receber, que depois não produzem efeito nenhum na vida? Não é isso que queremos”, assegurou.

O bispo do Algarve lembrou que “a exigência temperada com amor é sempre benéfica”. “Queremos ser pais mas devemos ser exigentes. A exigência paterna é sempre caminho da excelência. Temos de nos confrontar com a exigência da palavra de Deus”, sustentou.

D. Manuel Quintas lembrou que “o pároco atua e age em nome do bispo”, sendo deste um “especial colaborador” e que muitas das suas formas de agir são consequência de orientações do bispo, de determinações da própria diocese e da comunhão com os outros párocos.

Samuel Mendonça
Pub