Pub

O primeiro do “Domingo da Palavra de Deus”, convocado pelo papa e celebrado pela Igreja no passado dia 26 deste mês, assinalou-se na Diocese do Algarve com a instituição de um leitor rumo ao sacerdócio na eucaristia que teve lugar na igreja das Ferreiras.

Na homilia da celebração, o bispo do Algarve alertou que “ninguém deve ficar descansado só pelo facto de ter uma Bíblia”. “Penso que não haja aqui ninguém que não tenha a Bíblia em casa. Facilmente a Bíblia permanece lá, fechada no seu respetivo lugar durante muitos dias, às vezes, semanas ou então aberta na mesma página, a compor o móvel. Não é essa a finalidade de termos nas nossas casas a palavra de Deus, a Sagrada Escritura. Ninguém deve ficar descansado só pelo facto de ter uma Bíblia. É preciso lê-la, é preciso alimentar-se desta palavra”, frisou D. Manuel Quintas.

O prelado acrescentou que “essa palavra é a pessoa de Jesus”. “Desconhecer a palavra – diz o Concílio – é desconhecer Cristo. É pela escuta assídua da palavra que nos conduz à oração e à ação que nós conhecemos melhor a pessoa de Cristo e que podemos identificar-nos mais plenamente com Ele”, sustentou.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

“A palavra de Deus é luz que ilumina a nossa vida e nos fortalece na fé. É essa luz que brota do amor de Deus que nos ama como filhos. Por isso, não podemos dispensar a leitura da palavra de Deus”, prosseguiu, aconselhando a “leitura quotidiana” da Bíblia. “Nem que seja um versículo por dia. E hoje há tantas formas de lermos a palavra, em todos os lados, em todos os lugares, através dos meios que temos, do telemóvel”, exortou.

Em setembro de 2019, o papa Francisco divulgou a carta apostólica ‘Aperuit illis’ (‘Abriu-lhes o entendimento’) onde anunciava a instituição de um “Domingo da Palavra de Deus”, celebração anual nas comunidades católicas que visa promover a “familiaridade” com a Bíblia.

O bispo do Algarve aplaudiu a iniciativa. “É muito oportuna esta decisão do papa sobre dedicar um domingo para que cresçamos ainda mais no apreço da palavra e, sobretudo, na disponibilidade interior de nos dispormos a ler a palavra para que ela nos conduza à oração, ao conhecimento mais profundo da pessoa de Cristo e para que possamos atualizar a presença de Cristo na nossa vida”, afirmou na eucaristia em que abençoou também um casal que celebrou 50 anos de matrimónio.

O “Domingo da Palavra de Deus” foi celebrado no Algarve em todas as paróquias. Na da Mexilhoeira Grande, por exemplo, para além da eucaristia foi realizada uma procissão. “Não nos restringimos ao templo, à igreja, mas saímos para a rua, como povo, crianças, jovens, famílias, adultos e idosos… como povo, como igreja testemunhámos a nossa fé, pelas ruas e encruzilhadas! De certo modo, fomos pelos caminhos, e como Igreja convidámos os que passavam ou os que paravam para observar a vir ver, a vir escutar, a vir conhecer a Palavra. Foi, sem dúvida, uma feliz iniciativa, a de sair pelas ruas, o parar e celebrar na rua, partilhar e dar a conhecer a fé que nos move e a Palavra que nos alimenta e ilumina”, testemunhou o pároco, o padre Domingos Costa.

Pub