Pub

D. Manuel Quintas, que falava aos jornalistas na última terça-feira (30 de outubro), à margem do encontro de centros sociais paroquiais que teve lugar em Santa Bárbara de Nexe, diz ser preciso “relativizar ideologias” para “absolutizar a pessoa e o país”. “Devemos relativizar as nossas diferenças e absolutizar a finalidade, a pessoa, a nação”, afirmou, considerando que “absolutizar a ideologia fragiliza a resposta àquelas que são as grandes questões que se põem hoje à sociedade portuguesa”.

“Devemos unir-nos naquilo que temos de fazer para dar resposta aos grandes problemas atuais, mesmo que para esta união tenhamos que relativizar aquilo que nos mobiliza e o nosso ponto de vista. Para ultrapassar esta situação de crise não adianta cada um puxar para seu lado”, defende o prelado.

Samuel Mendonça

Pub