Pub

Foto © Samuel Mendonça

O bispo do Algarve disse que o encontro de formação para o clero do sul, que termina esta quinta-feira em Portimão, está a contribuir para “destruir alguns muros” que existem na Igreja Católica, “em relação ao uso dos meios digitais”.

D. Manuel Quintas destacou à Agência Ecclesia a “grande atualidade” do tema deste ano, centrado nos ‘novos areópagos’ de comunicação.

Um assunto que desafia a Igreja Católica a uma “nova maneira de ser, de estar e de fazer no que diz respeito ao anúncio do Evangelho”.

De acordo com o prelado algarvio, é tempo da Igreja pôr de lado um certo “temor relativamente àquilo que o mundo digital pode proporcionar” e perceber qual a melhor maneira de tirar partido dessa ferramenta.

A formação veio mostrar que, mais do que entupir a internet com “respostas a perguntas que ninguém faz”, importa “escutar”, estar “do lado de lá”, das pessoas, das comunidades, de quem vem de fora, para perceber o que é que precisam.

D. Manuel Quintas dá como exemplo a informação sobre os “horários das missas” ou “a localização das igrejas”, que está à disposição no site da Diocese do Algarve e que é tão procurada pelas pessoas, sobretudo “durante o tempo de verão”.

Esta “já é uma aplicação prática àquilo que a internet pode proporcionar. O importante é colocarmo-nos do outro lado e irmos ao encontro das perguntas que as pessoas fazem”, frisa aquele responsável.

O encontro de formação do Clero do Sul reúne em Portimão bispos, sacerdotes e diáconos das dioceses do Algarve, Évora, Beja e Setúbal e tem ainda em cima da mesa a aproximação da Igreja Católica às “periferias humanas e existenciais”, uma noção que tem marcado o pontificado do papa Francisco.

D. Manuel Quintas destaca a oportunidade de aprendizagem e de “convívio” entre responsáveis e agentes pastorais e com outras figuras que, dentro e fora da Igreja Católica, se questionam sobre a importância da comunicação e qual a melhor estratégia a seguir, nos mais variados setores.

Este ano, a iniciativa contou com a participação de oradores como o selecionador nacional de futebol, e campeão da Europa, Fernando Santos; e o diretor da revista ‘La Civiltà Cattolica’ em Roma, o padre jesuíta italiano Antonio Spadaro.

Também Guilherme d’Oliveira Martins, antigo membro do Governo e atual administrador da Fundação Calouste Gulbenkian; o musicólogo Rui Vieira Nery e Rui Marques, coordenador da Plataforma de Apoio aos Refugiados.

Pub