Pub

A importância da oração, sempre presente na vida de Jesus e enquanto tempo que se oferece pelos irmãos foram os temas centrais da reflexão do Bispo do Algarve, D. Manuel Neto Quintas, na catequese realizada no passado dia 14 de março, durante a oração de vésperas, emitida em direto a partir do Seminário de S. José, em Faro.
«A oração espelha toda a vida de Jesus», diz o prelado, «marca toda a sua existência, nos seus relacionamentos e gestos, e guia-O até ao dom total de Si mesmo, no cumprimento do desígnio de Deus Pai». É através da oração que Cristo estabelece uma «comunhão filial com Deus e com aquilo que é a Sua vontade. Rezar, explicou D. Manuel Neto Quintas, «era igual a “ser”. O seu “estar com o Pai” pela oração, era essência constitutiva do seu “ser para Deus” e do seu “ser com Deus” e, logo, da sua natureza divina e da sua consciência de Filho de Deus».
Assim, através da oração Jesus deixa-nos o exemplo de uma total gratuitidade na relação que se estabelece entre Deus e o homem e que Ele próprio experienciou: «Ele é o Deus da graça e não da lei. Não é um contabilista. Olha ao coração e não às palavras», salientou o Bispo do Algarve, pois em Deus, «tudo é graça e dom» e a própria oração «predispõe para o encontro com os outros, fortalece no compromisso no mundo, reacende a paixão pela evangelização». E a oração de Jesus, voltou a explicar, é «modelo perfeito da oração sob a ação do Espírito Santo», e o Espírito, por sua vez, é «garantia de autenticidade e eficácia na oração».
Assim, todos os cristãos, sobretudo neste tempo de preparação para a Páscoa, são convidados a seguir o exemplo de Jesus. «Num mundo cada vez mais fechado ao horizonte divino e à esperança, somos chamados a ser testemunhas de oração», afirmou D. Manuel Neto Quintas, reforçando: «A amizade profunda com Jesus e o viver nele e com Ele a relação filial com o Pai, presente na oração fiel e constante, pode abrir as janelas do céu, de modo que outros possam, connosco, descobrir o caminho que a Ele conduz».

 

Pub