Pub

D. Manuel Quintas falava, na igreja de Santa Maria de Lagos, na eucaristia de encerramento da visita pastoral que iniciou no passado dia 29 de janeiro, lembrando que aquela iniciativa “tem a finalidade de confirmar e de estimular na fé”.

O prelado começou por referir-se ao “mundo dos afetos”. “É tão importante que os manifestemos uns aos outros, particularmente a quem se sente sozinho e vive em solidão”, afirmou, lembrando as notícias de pessoas que são encontradas mortas em casa sem que ninguém se aperceba da sua morte. “Gostaria que tivéssemos a coragem de acabar com esta «lepra» da solidão e do isolamento nos dias de hoje”, desejou, numa alusão ao evangelho de hoje que relata a cura de um leproso, protagonizada por Jesus. “Por vezes, preocupamo-nos com tudo e esquecemo-nos de promover estes gestos de Jesus”, complementou, lamentando a falta de “gestos de proximidade”.

D. Manuel Quintas desafiou então os presentes à “dimensão fraterna”. “É preciso cultivarmos as relações de proximidade e não descansarmos à sombra de sermos solidários uns com os outros. É necessário avançarmos um bocadinho mais para sermos fraternos”, afirmou, manifestando a urgência de se “quebrar com todas as formas de isolamento e solidão”. “Somos convidados a fazer este «milagre» nos dias de hoje. Que através dos nossos gestos quebremos tantos muros de preconceitos e de afastamento uns dos outros, geradores de isolamento e de solidão, que vamos construindo à nossa volta”, complementou.

Já no último sábado, no âmbito da celebração do XX Dia Mundial do Doente, o bispo do Algarve incidira sobre este tema para pedir às paróquias que promovam ainda mais a pastoral da saúde, sobretudo através da incrementação de grupos de visitadores de doentes nas suas casas e não apenas nos hospitais ou lares”.

E foi precisamente sob pretexto do “contributo para que o mundo seja mais humano” que surgiu o segundo apelo do prelado. “O mundo de hoje espera de nós, batizados, algo que marque pela diferença no sentido de acrescentar aquilo que falta, sobretudo o testemunho de uma vida renovada por Cristo”, afirmou, acrescentando que, “nos dias de hoje, precisam-se testemunhos de cristãos convictos da sua fé, da sua identificação com Cristo, que anunciem aquilo que vivem, que testemunhem a sua experiência e o seu encontro com Cristo ressuscitado”.

Neste sentido, o bispo do Algarve apelou à importância de aprofundar a fé. “Queremos empreender um movimento de aprofundamento na fé, também dos adultos, uma nova evangelização”, anunciou D. Manuel Quintas, apelando à disponibilidade dos fiéis. “Não deis por mal empregue o tempo que puderdes dedicar, constituído algum grupo, vindo aqui alguma noite à Igreja para rever, revitalizar e aprofundar os princípios da doutrina cristã”, referiu, apontando para novidades “já no próximo ano pastoral”. “Não queremos ser cristãos a meias ou só de ocasião. Queremos sê-lo integralmente e de tempo pleno”, sustentou.

Repetindo o que já tinha feito ontem, o bispo do Algarve referiu-se às visitas domiciliárias a doentes que realizou diariamente. “Foram momentos de muita gratificação para mim. Quando visito doentes nas suas casas recebo sempre lições de fé e de vida. É sempre mais aquilo que recebemos do que aquilo que levamos”, testemunhou.

A FOLHA DO DOMINGO sabe que D. Manuel Quintas apelou também à valorização dos conselhos pastorais paroquiais, à criação de equipas paroquiais da pastoral familiar, ao aprofundamento da preparação dos sacramentos da iniciação cristã (batismo, comunhão e crisma) e do matrimónio e à oração através da adoração semanal ao Santíssimo Sacramento, a hóstia que, depois de consagrada, passa a ser o corpo de Cristo.

No final da eucaristia, os padres redentoristas Abílio Almeida e José Manuel Pacheco agradeceram a presença e o estímulo da visita episcopal às paróquias de Barão de São João, Barão de São Miguel, Bensafrim, Budens, Luz de Lagos e Santa Maria de Lagos. Ao longo destas duas semanas, a iniciativa contemplou o encontro com catequistas e comissões de pais, com crianças e jovens, com os conselhos económicos das paróquias, com os conselhos pastorais paroquiais e com os grupos da pastoral sóciocaritativa e litúrgica, com os agrupamentos locais do CNE – Corpo Nacional de Escutas e com os diversos agentes de pastoral e responsáveis de movimentos.

O bispo diocesano encontrou-se também com católicos ingleses e com os responsáveis da Igreja Anglicana e visitou ainda as instituições, as escolas e infantários, os lares de idosos e as Juntas de Freguesia.
Esta foi a quarta visita pastoral de D. Manuel Quintas neste ano pastoral de 2011-2012, depois das anteriores realizadas a Faro e Montenegro, à Conceição de Faro e a Estoi e Santa Bárbara de Nexe.

A próxima visita pastoral do bispo do Algarve será, de 4 a 11 de março, às restantes paróquias do concelho de Lagos: São Sebastião e Odiáxere.

Samuel Mendonça
Pub