Pub

D. Manuel Quintas referiu, na sua homilia da Missa Crismal que hoje se celebrou na Sé de Faro (ver notícia), que a colaboração da diocese algarvia visou contribuir para um “melhor conhecimento do mundo em que vivemos e da Igreja que constituímos, com as suas sombras, que nos interpelam, e as suas luzes de esperança que nos alentam e encorajam”. “Apontámos caminhos para uma nova maneira de ser Igreja: a formação a todos os níveis e idades, com a criação de espaços e de tempos de oração geradores de uma verdadeira experiência espiritual, fundamentada na Palavra e na pessoa de Cristo; o empenho corajoso, criativo e audaz na nova evangelização; a reorganização das comunidades cristãs, unida a uma nova forma de exercer o ministério sacerdotal e uma maior implementação dos ministérios laicais”, enumerou o prelado.

O bispo diocesano advertiu ainda que a concretização destas propostas exige de todos os agentes de pastoral, mas de modo particular dos padres e diáconos, “conversão e renovação diariamente alimentada na Eucaristia”.

Na Diocese do Algarve, a reflexão foi feita Assembleia Diocesana do presente ano pastoral de 2010-2011 (5 de outubro), tendo o assunto sido posteriormente ainda refletido em algumas paróquias e movimentos, no Conselho Diocesano de Pastoral e no Conselho Presbiteral. Desse trabalho foi enviada uma síntese à CEP.

Samuel Mendonça
Pub