Pub

Aos elementos, oriundos de Alcantarilha, Algoz, Aljezur, Bensafrim, Ferreiras, Loulé, Matriz de Portimão, Monte Gordo, Olhão, Quarteira, Quelfes, São Luís e São Pedro de Faro (incluindo a comunidade do Patacão), São Sebastião de Lagos e Tavira, que partirão às 6h de dia 13 em três autocarros de Aljezur, Tavira e Faro, grupo que inclui o diácono Luís Galante, juntar-se-á, já no Porto, o Bispo do Algarve, D. Manuel Quintas.

A iniciativa, organizada em colaboração com os Secretariados de Pastoral Juvenil e Universitária da diocese portuense, insere-se no seu programa “Missão 2010”.

Entre os inscritos contam-se, entre muitos outros, mais de 1000 jovens do Porto, cerca de 600 de Lisboa, 200 de Coimbra, algumas dezenas de franceses e de alemães, mais de 100 polacos e espanhóis e 900 famílias de acolhimento. No total, estarão representados cerca de 25 países.

“Será uma alegria para a Comunidade de Taizé vir celebrar as fontes da alegria cristã aqui no Porto”, afirmou o irmão David, da Comunidade Ecuménica de Taizé na conferência de imprensa realizada ontem.

Os jovens peregrinos serão acolhidos no dia 13 de Fevereiro no Dragão Caixa (pavilhão do Futebol Clube do Porto), entre as 11 e as 14 horas. Vão aí receber o Caderno do Encontro e a Carta da China, escrita pelo irmão Alois, prior da Comunidade de Taizé.

Serão então divididos pelos 39 centros de acolhimento. Depois de passarem pela paróquia e pela família de acolhimento, os jovens vão regressar ao Dragão Caixa para um fórum musical com cantares tradicionais portugueses de diferentes regiões do país, o jantar e uma vigília de oração.

Dias de oração, convívio, reflexão e aprendizagem

No Domingo, 14 de Fevereiro, os peregrinos vão participar nas Eucaristias paroquiais e reunir-se de seguida para falar sobre como «fazer uma escolha dos nossos desejos». «Uma vez que não posso nem fazer tudo nem ter tudo, quais são as coisas que eu deveria abandonar? Será que renunciar é difícil? Será que é algo que nos liberta?», serão algumas das perguntas que lhes serão colocadas.

Depois do almoço, com as famílias de acolhimento, às 16 horas terão lugar no centro da cidade workshops com temas à escolha. Estes ateliers, a maioria sem bilhete de entrada, serão abertos ao público, pelo que todas as pessoas (inscritas ou não no Encontro) estão convidadas a participar.

Na igreja de S. Bento da Vitória terá lugar um diálogo com D. Manuel Clemente, sobre o tema «É possível a alegria?». Ao final da tarde, os jovens regressam ao Dragão Caixa para o jantar e uma vigília de oração.

Na Segunda-feira, 15 de Fevereiro, depois da oração da manhã nas paróquias de acolhimento, os participantes vão reflectir sobre o tema «partilhar o que temos»: «O que posso fazer para que outras pessoas possam tirar proveito dos bens da criação e encontrem uma alegria de viver? Quais as iniciativas de partilha que conheço? Quais são as que estão ao meu alcance?»

Às 14h15, a oração da tarde ocorrerá em templos históricos do centro da cidade. As igrejas de São Lourenço, de São Bento da Vitória, da Trindade e de São João Novo, cheias de jovens, acolherão todos os que se queiram juntar a eles para este momento de oração meditativa e de louvor. De seguida, às 16 horas, é proposta a todos os que queiram aparecer uma lista de ateliers com temas à escolha.

A igreja das Taipas estará aberta nas tardes dos dias 13, 14, 15 e 16 para um tempo de silêncio e oração pessoal, dando a possibilidade àqueles que o desejarem de serem ouvidos, de receber o sacramento da reconciliação ou simplesmente de permanecer num espaço acolhedor para rezar.

Tal como nos outros dias, ao final da tarde os peregrinos vão reunir-se no Dragão Caixa para o jantar e a vigília de oração. As meditações que o irmão Alois fará durante as orações da noite serão publicadas no próprio dia no site da Comunidade de Taizé.

Na Terça-feira, 16 de Fevereiro, depois da oração da manhã e da reflexão baseada no tema «aprofundar a confiança em Deus e renovar a nossa coragem», os jovens peregrinos terão um almoço partilhado, nas paróquias, com as famílias de acolhimento.

Até ao início do Encontro, a igreja de S. José das Taipas recebe, de 2.ª a 6.ª feira, pelas 19h, uma oração que conta com a presença de irmãos de Taizé, jovens voluntários e todos os que se queiram juntar a eles.

Redacção com Ecclesia

Pub