Pub

O bispo do Algarve enviou uma carta ao clero algarvio a convidá-lo para a celebração da Missa Crismal que já tinha anunciado celebrar-se no próximo dia 19 deste mês.

No mês passado, D. Manuel Quintas já tinha informado os padres e diáconos do Algarve que a Missa Crismal, que é anualmente celebrada na Quinta-feira Santa em que se celebra também a instituição do sacerdócio ministerial, seria realizada na solenidade do Coração de Jesus, este ano a 19 de junho.

Na missiva que agora enviou, o bispo diocesano realça a importância que aquele dia tem para os membros do colégio presbiteral da diocese algarvia, com a celebração na qual, para além da renovação das suas promessas sacerdotais dos presbíteros, são ainda benzidos os óleos dos catecúmenos e dos enfermos e consagrado o óleo do crisma.

“Para além de toda a simbologia e significado de comunhão ministerial que estes óleos exprimem e significam, cada vez que deles nos servimos, estou certo de interpretar os sentimentos de todos ao afirmar que, depois de nos termos encontrado com as nossas comunidades, também nós precisamos de nos encontrar, após tanto tempo de ausência presencial mútua”, escreve D. Manuel Quintas, acrescentando que a renovação das promessas sacerdotais, mas, sobretudo, a concelebração eucarística vai ajudar “a avivar e a estreitar os laços” que unem bispo e sacerdotes no mesmo presbitério e “a crescer na amizade, na estima recíproca e na comunhão fraterna”.

O bispo diocesano lembrou ainda o significado da solenidade do Coração de Jesus para o clero por ser um dia em que “todo o Povo de Deus vem sendo convidado a rezar” pela sua santificação.

Lembrando que a Missa Crismal não pôde ser celebrada na Quinta-feira Santa devido à pandemia de Covid-19, D. Manuel Quintas lamenta também não ser possível ainda “acolher o número expressivo de leigos (acólitos, jovens…) que habitualmente” acompanhava os seus párocos e “participava, para proveito mútuo, nesta Eucaristia”.

A Missa Crismal será celebrada às 10h na catedral de Faro.

Pub