Pub

“A partilha de bens, em tempo de crescente necessidade, como acontece entre nós, é expressão deste dinamismo de crescimento pessoal e eclesial e de progresso no caminho da santidade, fruto do estímulo recíproco no amor e nas boas obras”, afirmou D. Manuel Quintas que referiu concretamente o facto de o Algarve ser o distrito com maior percentagem de desemprego (17,5%), segundo números este mês divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística.

O prelado recordou que o Conselho Presbiteral decidiu que o contributo penitencial quaresmal reverte, à semelhança do ano passado, para o Fundo Diocesano Social (FDS) que “recolheu e distribuiu entre donativos (33.761 euros) e renúncias quaresmais (25.726 euros), um total de 59.487 euros, uma soma que considerou “com algum significado mas muito aquém da possibilidade de satisfazer os inúmeros pedidos, chegados de todo o território diocesano”.

O bispo do Algarve manifestou ainda o seu reconhecimento a todos, “sem esquecer a resposta dada ao longo de todo o ano, de tantos modos, e muito difícil de contabilizar”, pelas comunidades paroquiais algarvia e pela Caritas Diocesana. “Ela é expressão duma consciência fraterna e solidária que «desperta» para a realidade envolvente e mobiliza na resposta às consequências da situação que atravessamos”, sublinhou na apresentação da sua Mensagem para a Quaresma, acrescentando que “são muitas as paróquias que estão constantemente mobilizadas, através de grupos paroquiais sociais e de tantas outras formas, ao longo do ano para responder aos apelos que surgem em primeira mão na própria comunidade”.

D. Manuel Quintas renovou então o apelo à “generosidade de todos” para com o FDS, cuja contribuição pode ser feita através das paróquias ou de depósito bancário (NIB 001800000617213600178). O bispo diocesano pediu assim aos párocos para “continuarem a sensibilizar e a envolver as comunidades paroquiais” na “resposta de proximidade” e de “vizinhança” às “situações locais, sobretudo a situações de novas pobrezas, de doença e de solidão, como caminho de conversão quaresmal e da prática caridade cristã”.

A Quaresma é um período de 40 dias – excetuando os domingos -, marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário dos cristãos.

Samuel Mendonça
Pub