Pub

O prelado nomeou pároco da Conceição de Faro o frei Paulo Ferreira, franciscano, que até agora estava no Convento de Santo António do Varatojo, em Torres Vedras, e que vem substituir o frei José António da Silva, da mesma congregação, que estava no Algarve desde Setembro de 1998.

D. Manuel Quintas nomeou ainda pároco de Cacela o padre Agostinho Pinto, dehoniano, que era pároco da paróquia do Livramento, na Diocese de Angra (Açores) e director do Centro de Espiritualidade do Coração de Jesus, na mesma diocese, e que vem substituir o padre Leandro Garcês, sacerdote da mesma congregação que está no Algarve desde 2005 e que tomou posse como pároco de Cacela em Agosto do mesmo ano.

O mesmo padre Agostinho Pinto foi ainda nomeado vigário paroquial do Azinhal, de Castro Marim, de Monte Gordo e de Vila Real de Santo António pelo Bispo diocesano.

A posse do frei Paulo Ferreira como pároco da paróquia da Conceição de Faro será conferida no dia 5 de Setembro, enquanto o padre Agostinho Pinto será empossado em Cacela no dia 19 de Setembro.

Como vigários da vara, D. Manuel Quintas nomeou o padre António da Rocha para a vigararia de Faro, o padre Henrique Varela para a vigararia de Loulé, o padre Mário de Sousa para a vigararia de Portimão e o padre Dinis Faísca para a vigararia de Tavira.

De acordo com o mesmo documento, o Bispo do Algarve constituiu ainda o GIDAlg que tem como membros o padre Miguel Neto como director, o diácono Luís Galante como porta-voz e Samuel Mendonça, director da FOLHA DO DOMINGO.

Segundo D. Manuel Quintas, estas nomeações expressam a “comunhão entre o Bispo e os presbíteros, traduzida na solicitude pastoral por todas as comunidades cristãs, pelas quais entregam a sua vida no exercício do seu ministério”. Igualmente manifestam a resposta possível face “às necessidades e às urgências pastorais da nossa Igreja diocesana, perante o realismo e o número diminuto do nosso presbitério, se bem que generoso e dedicado, reclamam o envolvimento de todos para o bom desempenho da sua missão pastoral”, considera o prelado.

D. Manuel Quintas deixa um convite a toda “a Igreja diocesana a dar graças ao Senhor, pela disponibilidade manifestada” por quantos agora pede uma nova missão. “Disponibilidade que, como pude testemunhar, é fruto de um grande espírito de fé, de generosidade e de amor à nossa Igreja diocesana. Espero a mesma disponibilidade e o mesmo sentido eclesial das comunidades envolvidas neste processo, seja na gratidão e no reconhecimento a quem parte, seja no acolhimento e na colaboração corresponsável com quem chega”, afirma o Bispo do Algarve.

Pub