Pub

D. Manuel Quintas enumerou, na homilia da eucaristia de celebração dos 50 anos de sacerdócio do padre Abílio Almeida, em Lagos, as “condições de vida essenciais”, apontadas por Jesus na liturgia de ontem, com vista á participação no “banquete do reino”. O prelado referiu-se áqueles “elementos essenciais” como “caminho da verdadeira vida, da verdadeira alegria e da verdadeira felicidade que devem estar presentes em todas as formas de vida cristã, em todas as vocações”

“A humildade é a virtude que nos dá a verdade daquilo que somos e daquilo que fazemos. Contrariamente, o orgulho deturpa aquilo que somos e fazemos e cega-nos. Não nos deixa ver com equilíbrio, de maneira justa, o que somos e o que os outros são”, afirmou, considerando ser “muito difícil a um orgulhoso estabelecer relações de amizade e de convivência fraterna baseadas na verdade e na autenticidade porque o orgulho exalta-se a si mesmo e rebaixa os outros”. “Nos outros só vê defeitos e em si só vê virtudes”, sustentou, lembrando que, “normalmente, unida ao orgulho e á soberba está sempre a maldade, a malícia nas apreciações que se fazem, nos juízos que se tecem a respeito dos outros”.

O bispo do Algarve frisou, por isso, que “Deus manifesta-se aos humildes, áqueles que são simples, aos que não têm malícia no coração, naquilo que pensam ou ajuízam”

D. Manuel apelou ao “amor gratuito e desinteressado”, a “fazer o bem sem olhar a quem” e a “amar por amar e não por obrigação”. “Este é que é o amor verdadeiro. Vida feita dom e serviço aos outros”, acrescentou, lembrando que “esta maneira de ser e de viver deve ser caraterizar todos os batizados e, de modo particular, aqueles que são chamados a ser dom de Deus para os outros através do ministério ordenado”.

Samuel Mendonça

Pub