Breves
Inicio | Igreja | Bispo do Algarve lembra que participar da cruz levará a merecer participar da ressurreição de Jesus

Bispo do Algarve lembra que participar da cruz levará a merecer participar da ressurreição de Jesus

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

“Acompanharemos o Senhor de modo que, participando agora na sua cruz, mereçamos um dia ter parte na sua ressurreição”, observou o bispo do Algarve no passado Domingo de Ramos na entrada para a presente Semana Santa.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Na celebração, que teve início junto à igreja de Misericórdia de Faro com a bênção dos ramos, à qual se seguiu a procissão até à Sé, prosseguindo ali a eucaristia, D. Manuel Quintas lembrou que aquela manifestação pretende fazer memória da entrada triunfal de Jesus na cidade santa de Jerusalém e prepara para as celebrações que se lhe seguem. “Foi para realizar este mistério da sua morte e ressurreição que Jesus Cristo entrou na sua cidade de Jerusalém”, afirmou.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

“Vamos subir, não para Jerusalém, mas para a nossa catedral, indicando toda esta subida interior de união e comunhão com a entrega de Jesus na cruz que, desde já, nos preparamos para celebrar interiormente os mistérios principais da nossa fé nesta semana que chamamos Semana Santa ou Semana Maior”, explicou, referindo-se às celebrações da instituição da eucaristia e do sacerdócio (na quinta-feira), da paixão, morte (sexta-feira) e ressurreição de Jesus (sábado e domingo).

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O prelado explicou que o que é celebrado no Domingo de Ramos é uma “subida de amor”, uma “subida que significa doação total” de Cristo, explicando que aquele é um “caminho que culmina com a cruz, o «trono» no qual se manifesta a sua realeza” e que denúncia que a “expressão máxima do serviço” de Jesus é “a doação e a entrega aos outros”.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Lembrando que Cristo “vem como Rei, montado num jumentinho”, “não para ser servido mas para servir, não para mandar mas para obedecer”, o bispo do Algarve destacou que os ramos empunhados nas mãos dos presentes significam a adesão a acolher Jesus, “aquele que liberta, que dá vida, que salva”, um “Rei cujo poder não se exprime através da opressão, mas da libertação”. “Acolhendo-o como Rei dispomo-nos a participar da sua realeza. E participamos mesmo através do nosso batismo”, complementou.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

“Que este dia possa motivar-nos e mobilizar-nos para celebrarmos e vivermos intensamente estes mistérios centrais da nossa fé”, desejou.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A Semana Santa terá como ponto alto a celebração da Vigília Pascal no próximo sábado, 31 de março, na passagem de Sábado Santo para Domingo da Ressurreição. Este acontecimento, que sustenta a sua fé, trata-se da celebração mais importante para os crentes em Jesus Cristo.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A imersão no «coração» das celebrações pascais dá-se Quinta-feira Santa (29 de março) com o início do Tríduo Pascal, na Missa vespertina da Ceia do Senhor.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A Diocese do Algarve, através do seu Setor da Pastoral do Turismo, voltou a disponibilizar os horários das celebrações na totalidade das paróquias algarvias, informação que pode também ser acedida a partir do sítio da Pastoral do Turismo da diocese algarvia na internet.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Fotogaleria:
Domingo de Ramos 2018

Verifique também

Paróquia das Ferreiras acolhe Oficina de Oração e Vida

A paróquia das Ferreiras está a acolher uma Oficina de Oração (TOV) e Vida desde …