Pub

O bispo do Algarve dirigiu esta manhã uma mensagem aos jovens por ocasião da Jornada Mundial da Juventude que se celebra, a nível local (diocesano) no dia de hoje, Domingo de Ramos (ou em data a definida por cada diocese), alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos, numa grande cidade.

Na missa na catedral de Faro, esta manhã, D. Manuel Quintas lembrou ser habitual celebrar-se neste domingo o Dia Mundial da Juventude já na sua 35ª edição, iniciativa criada pelo papa São João Paulo II. “Este ano, pelas razões conhecidas, foi adiada esta celebração em Roma para a solenidade de Cristo Rei e entre nós, Diocese do Algarve, para o primeiro fim de semana do mês de outubro”, sustentou.

“Todos lamentamos não nos ter sido possível encontrarmo-nos hoje para celebrarmos juntos o vosso dia, em comunhão com os jovens cristãos de todo o mundo. Une-nos o entusiasmo e a paixão por Cristo pelos valores que Ele nos deixou, dos quais as celebrações da Semana Santa são um eloquente testemunho”, afirmou o bispo diocesano.

“Apreciei muito o entusiasmo com que iniciaste a Quaresma e a vossa participação nas iniciativas que ainda nos foi possível concretizar. Estou certo de que, logo que nos seja possível, e na altura própria, iremos retomar esse percurso em ordem à celebração no início de outubro do nosso Dia Diocesano da Juventude, rumo à preparação da Jornada Mundial em Lisboa em 2022”, prosseguiu.

O bispo do Algarve repetiu aos jovens a ordem dada por Jesus ao jovem defunto de Naim, que intitulou a mensagem que o papa Francisco lhes escreveu para este dia. “Também a ti, caro jovem, sobretudo se perdeste o vigor interior, os sonhos, o entusiasmo, esperança e a generosidade, o Senhor, com todo o seu poder de ressuscitar, te diz: «jovem, eu te ordeno, levanta-te!»”, afirmou, acrescentando que “levantar-se significa nunca desistir de sonhar, de arriscar, de se esforçar por mudar o mundo, de se apaixonar pelo que é belo e vale a pena”.

“Esta ordem de Jesus ilumina bem realidade que estamos a viver. Acredito que não esteja a ser fácil também para vós ficar em casa com as vossas famílias e que o sentimento de cansaço e de frustração vos atinja de modo particular”, prosseguiu.

“Ao acolherdes esta ordem de Jesus, estou certo, levantareis também o ânimo dos vossos colegas que contactais pelas redes sociais e, sobretudo, no seio da vossa família, procurando ter atitudes de consolidação dos laços que a unem e alimentam o amor mútuo e a sadia convivência”, continuou.

“Só juntos e unidos, remando na mesma direção, no mesmo barco, conseguiremos diminuir e mesmo acabar – disso temos clara esperança – com esta pandemia que nos atinge a todos”, concluiu.

Pub