Pub

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

O bispo do Algarve lembrou na sexta-feira que o culto ao coração de Jesus é “essencialmente eucarístico, já que a eucaristia e o sacerdócio são dons do coração de Cristo aberto na cruz”.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

Na homilia da missa da solenidade do Sagrado Coração de Jesus que a Igreja celebrou naquele dia, D. Manuel Quintas afirmou que os cristãos são “convidados a contemplar Cristo de coração trespassado na cruz de onde brotam os sacramentos, de onde nasce a própria Igreja”. “Esta festa diz-nos que, sobretudo, o coração nos mostra a grandeza deste amor e da misericórdia de Deus por nós. Este é o dia em que devemos contemplar, deixar-nos amar, perdoar e depois partilhar”, afirmou o prelado, exortando os católicos a serem “misericordiosos como o Pai”, o lema deste Ano Santo da Misericórdia.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

Na eucaristia, a que presidiu ao final da tarde na Sé de Faro, o bispo diocesano justificou assim o motivo de se ter celebrado naquele dia, em Roma, o Jubileu dos Sacerdotes, presidido pelo papa Francisco.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

D. Manuel Quintas manifestou ainda a intenção de ação de graças daquela celebração pelas congregações e institutos religiosos presentes no Algarve que se inspiram na espiritualidade do coração de Jesus: as irmãs Missionárias Reparadoras do Sagrado Coração de Jesus, que renovaram os seus votos de consagração a Deus, e os Sacerdotes do Coração de Jesus (dehonianos), congregação à qual também pertence o bispo do Algarve, com os quais concelebrou eucaristia na manhã daquele mesmo dia em Vila Real de Santo António.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

No final da celebração foram admitidos novos associados no movimento do Apostolado da Oração que assenta a sua ação na espiritualidade do Sagrado Coração de Jesus.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça
Pub