Pub

O bispo do Algarve nomeou hoje novos párocos, diáconos associados e o novo diretor espiritual para o Seminário de São José, em Faro.

Através de decreto publicado há pouco no portal da Diocese do Algarve na Internet, D. Manuel Quintas nomeou o padre Mário de Sousa, pároco da paróquia de Nossa Senhora do Amparo, em Portimão, acumulando com a paróquia da matriz da mesma cidade, da qual já era prior desde setembro de 2009. O padre Mário de Sousa substitui o padre Arsénio da Silva, falecido no passado mês de maio.

O padre Estêvão Jardim, sacerdote da Companhia de Jesus (jesuíta), que veio para o Algarve em dezembro de 2010 e foi nomeado a 8 de agosto do ano passado, mantém-se como vigário paroquial daquela paróquia e assume agora a mesma função na paróquia da matriz de Portimão.

Com o padre Mário de Sousa trabalharão também nas duas paróquias os diáconos Vitor Sabino e Miguel Ângelo Pereira, este último ordenado em janeiro deste ano, igualmente nomeados pelo prelado.

D. Manuel Quintas nomeou ainda o padre Manuel Rodrigues como pároco das paróquias de Olhão e Quelfes, substituindo na primeira comunidade o padre Luís Gonzaga, que exercia aquela missão desde setembro de 1997, e na segunda o padre Jorge Carvalho, que exercia aquela missão desde setembro de 2002. O padre Manuel Rodrigues era pároco da paróquia de São Pedro de Faro desde setembro de 1995.

Por sua vez, o padre Jorge Carvalho foi nomeado pároco de Almancil, substituindo o cónego Gilberto Santos, falecido repentinamente o mês passado, embora a paróquia tenha estado entregue nos últimos tempos aos cuidados do vigário geral da Diocese do Algarve, o padre Firmino Ferro. Já o padre Luís Gonzaga foi nomeado pároco da paróquia de São Pedro de Faro e diretor espiritual do Seminário de São José, cargo que era também desempenhado pelo padre Manuel Rodrigues de Oliveira. Recorde-se ainda que o padre Luís Gonzaga já tinha sido formador do Seminário diocesano.

Para as paróquias de Santa Bárbara de Nexe, Estoi e Pechão, o bispo do Algarve nomeou o padre Miguel Neto, que era vigário paroquial de Quarteira desde agosto de 2009. Igualmente nomeado para trabalhar nas mesmas paróquias foi o diácono Luís Galante, o que já acontecia em Estoi, desde setembro do ano passado, e em Santa Bárbara de Nexe, desde fevereiro deste ano. Recorde-se que o diácono Luís Galante trabalhava associado ao pároco, o padre Firmino Ferro, que assumiu as duas paróquias nas mesmas datas e que agora será substituído pelo padre Miguel Neto.

Em Pechão, o padre Miguel Neto substitui o padre Jorge Carvalho, que era pároco daquela comunidade também desde setembro de 2002.

D. Manuel Quintas nomeou ainda o diácono Albino Martins, ordenado em janeiro deste ano, para colaborar com o pároco nas paróquias de Martim Longo, Cachopo e Vaqueiros e o diácono Vasco Figueirinha, ordenado no mesmo dia, para as paróquias de Santa Maria e Santiago de Tavira, funções que ambos já vinham desempenhando.

No decreto das nomeações, o bispo do Algarve recorda aos sacerdotes a “solicitude pastoral” que devem ter pelas comunidades cristãs, assim como a quantos – diáconos e leigos – lhes estão associados.

D. Manuel Quintas lembra que “o envelhecimento e a diminuição do clero, este ano particularmente significativa pela morte de seis presbíteros”, obrigam “ainda mais a uma mudança de atitude” em relação ao serviço do ministério sacerdotal. “A reflexão realizada ao longo deste ano, a este propósito, deverá prosseguir de modo a encontrar uma crescente disponibilidade pessoal para ser implementada”, refere o prelado, explicando que “não está em causa a generosidade e a dedicação pessoais, presente de tantas formas, na solicitude pastoral pelas nossas comunidades cristãs, mas sim num modo diferente de exercer o ministério”.

Neste sentido, o bispo diocesano apela a “quantos servem paróquias urbanas, a prosseguir na promoção de uma pastoral de convergência, ajudando as próprias comunidades a crescer, celebrar e testemunhar a fé, sensibilizadas e abertas a quanto se pretende implementar”.

D. Manuel Quintas convida ainda todas as paróquias a “dar graças ao Senhor, pelos presbíteros que as serviram, alguns ao longo de muitos anos, e a acolher, com o mesmo sentido de comunhão eclesial e de colaboração corresponsável”, aqueles aos quais confia uma “nova missão”, “grato pela sua disponibilidade, fruto de um grande espírito de fé, de generosidade e de amor” à Igreja algarvia.

As datas das tomadas de posse dos responsáveis agora nomeados ainda não são conhecidas, mas deverão ocorrer durante o próximo mês de setembro.

Samuel Mendonça

Pub