Pub

“Não podemos contentar-nos, nos dias de hoje, com o que aprendemos na catequese quando éramos crianças. Hoje é tudo diferente e mudou tudo. Antigamente isso bastava porque tudo em volta nos falava do mesmo: em casa, os vizinhos, a escola… Hoje não, as circunstâncias são totalmente diferente e aquilo que aprendemos até à primeira comunhão, à profissão de fé ou ao Crisma, não basta”, disse o Bispo diocesano, lembrando que “problemas novos e diferentes” e “exigem um aprofundamento da fé e do conhecimento de Cristo”. O Bispo do Algarve sublinhou, neste sentido, que “conhecer a Palavra é conhecer Cristo e ignorar a Palavra é ignorar Cristo”.

“Precisamos de uma fé mais sólida e consistente, também do ponto de vista da sua fundamentação. É por isso que aqui na diocese, já desde o tempo de D. Manuel Madureira Dias, iniciámos este grande movimento da formação dos adultos, dos leigos, para que a fé não esmoreça diante de dificuldades e imprevistos”, complementou, exortando os fiéis a aderirem mais à Palavra de Deus para encontrarem fundamento para a sua fé. “Não podemos contentar-nos com uma fé dividida e desligada da vida. Temos muita tendência a desligar a fé da vida: uma coisa é quando nos reunimos em Eucaristia, outra é a nossa vida do dia-a-dia. Assim ninguém encontra gosto em ser cristão e discípulo de Jesus”, criticou.

Samuel Mendonça

Pub