Pub

D. Manuel Quintas falava na celebração de entrega e bênção das pastas que se realizou em Loulé, no Santuário de Nossa Senhora da Piedade, popularmente conhecida como Mãe Soberana.

O acontecimento festivo, que teve como destinatários 120 finalistas de nove cursos, iniciou-se pelas 11 horas com o cortejo académico dos finalistas, corpo docente, reitoria e capelania para o santuário, seguindo-se a sessão solene de entrega das pastas aos finalistas com a saudação por parte do assistente pastoral, padre António de Freitas, da representante do presidente da Associação de Estudantes, e do reitor, Mello Sampayo.

Após a sessão solene, teve início, pelas 12 horas, a celebração de Bênção dos Finalistas, presidida pelo bispo do Algarve, acompanhado pelo diácono Manuel Chula e pelos padres Alberto Teixeira e António de Freitas.

Na homilia, D. Manuel Quintas, partindo do texto da Liturgia da Palavra aludiu à necessidade de discernir a diferença entre “facilidade e felicidade”, porque, “várias vezes, confundimos estas duas realidades”. “A verdadeira felicidade exige muitas vezes esforço da nossa parte e não se alcança com facilidades”, afirmou, exortando os finalistas a empenharem-se no que agora vão fazer na vida profissional.

O prelado alertou ainda que “ter sabedoria é muito mais que possuir conhecimentos intelectuais e teóricos”, lembrando que a “verdadeira sabedoria é aquela que, vinda de Deus, nos faz transportar os conhecimentos académicos para a vida concreta”.

D. Manuel Quintas apelou aos finalistas a que “produzam bons frutos neste mundo que necessita de gente mais solidária, que se realiza não só colocando o conhecimento académico ao serviço da profissão, mas também ao serviço da realização pessoal, dando-se em favor dos demais”.

Seguidamente, um representante dos finalistas pediu que o bispo que os abençoasse e um dos grandes momentos, vivido com emoção e entusiasmo, foi a consagração e pedido de proteção à Mãe Soberana.

Os alunos finalistas procuram ter sempre um gesto solidário para com os mais necessitados e este ano, o ofertório que realizaram e que angariou 525 euros, destinou-se à UNIR – Associação dos Doentes Mentais Famílias e Amigos do Algarve, uma instituição sediada em Loulé.

O santuário tornou-se demasiado pequeno para a multidão que quis acompanhar os finalistas, alguns estudantes de cursos que atribuíram pela primeira vez a licenciatura na região do Algarve. Duas licenciaturas – Gestão Turística e Gestão Imobiliária – são mesmo pioneiras em todo o país.

Pub