Pub

Na Eucaristia da manhã, a que presidiu em Moncarapacho, D. Manuel Quintas considerou que foi muito bom contactar com “grupos de oração dispersos pelos diferentes lugares” daquela paróquia que se reúnem semanalmente, já há muitos anos, para a oração. “Queria exortar estes grupos a continuarem e, se possível, a centrarem a oração na Palavra de Deus meditada segundo a metodologia da Lectio Divina”, pediu, lembrando a importância destes encontros do ponto de vista humano e de aprofundamento da fé.

O Bispo diocesano constatou também que “tem crescido uma ligação muito grande à capela de São Miguel” no cerro com o mesmo nome. “Aquele lugar, pela sua localização e envolvência, pode ser um lugar de oração, não apenas para a vossa paróquia mas para toda a diocese, particularmente para esta parte da diocese”, disse, apelando a que se disponibilize aquele espaço para atividades diocesanas de oração ou reflexão. “A sua situação geográfica, só por si, já é convidativa ao silêncio, oração e interiorização”, constatou, exortando à construção de apoios sanitários no Cerro de São Miguel. “Para quem vai passar ali o dia inteiro, temos de lhe proporcionar esses serviços”, disse, acrescentando que “já há um projeto ”.

O prelado pediu ainda que se continue a “acarinhar as crianças e os escuteiros”, estes últimos à procura de uma sede. “Há um espaço que precisa de ser melhorado e a eles acoplado”, observou D. Manuel Quintas. “Quanto mais acarinharmos as crianças e os jovens mais se muda o ambiente nas próprias famílias, na própria terra e na própria comunidade cristã”, advertiu o Bispo diocesano, referindo-se à importância do escutismo. “É um movimento que está a fazer muito bem em todo o Algarve. Estão até a surgir novos agrupamentos. É um apoio muito grande para quem está a crescer”, disse.

Considerando que a visita, que ontem terminou, o ajudou a conhecer melhor a realidade humana, cristã, social e cultural das duas freguesias, o Bispo do Algarve disse que foi uma “semana muito rica”.

Na Fuseta, onde presidiu durante a tarde à Eucaristia, disse ter sido “muito agradável reviver a visita pastoral de há 10 anos”, atualizar-se em “tudo aquilo que de bom que vai acontecendo” naquela terra e escutar “projetos e anseios” daquela população.

O Bispo do Algarve concluiu a visita pastoral em ambas as paróquias com a administração do sacramento do Crisma, em Moncarapacho a 23 adultos e na Fuseta a cinco jovens. D. Manuel Quintas considerou mesmo que terminar a visita pastoral com a administração daquele sacramento é a melhor maneira de o fazer pois o bispo vem para “confirmar e reavivar a fé”.

Em Moncarapacho assistiu ainda à tomada de posse da nova equipa do Conselho Económico paroquial e na Fuseta foi presenteado com a interpretação musical de uma cantora da paróquia.

Samuel Mendonça

Pub