Pub

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

O bispo do Algarve encerrou ontem a visita pastoral que realizou às paróquias de Algoz (incluindo a comunidade de Tunes) e Guia na última semana.

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

Nas eucaristias de encerramento, D. Manuel Quintas exortou os católicos a crescerem na “atividade da fé”, a progredirem no “esforço da caridade” e a alicerçarem em Cristo a “firmeza da esperança”.

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

O prelado aludiu à importância de uma “fé ativa”. “Uma fé sem obras é uma fé morta”, advertiu, sublinhando o perigo de uma fé “desligada da vida”, das “opções e atitudes”. “Quanto mais anuncio e testemunho a fé, mais cresce a minha fé. A fé multiplica-se quando se partilha. A fé cresce quando se dá aos outros. É curioso que quando nós damos alguma coisa, ficamos sem aquilo que damos, mas, ao nível da fé, não. Quanto mais se partilha o dom da fé, mais este dom cresce em nós porque o partilhar a fé reforça a nossa inquietude”, sustentou na eucaristia na paróquia da Guia.

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

“Ao longo desta semana, celebrando e partilhando a fé convosco, tive a oportunidade de me aperceber do modo como vós procurais crescer na fé para a anunciar e a testemunhar”, regozijou-se.

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

“As visitas pastorais são sempre um tempo de graça e de dom também para mim porque me enriquecem na fé, no testemunho e no serviço como bispo desta Igreja diocesana. Foi muito agradável poder partilhar a vossa fé, celebrá-la convosco e também aperceber-me do modo como a transmitis aos mais novos”, acrescentou D. Manuel Quintas, congratulando aquela paróquia pelo serviço de distribuição de alimentos a algumas pessoas carenciadas realizado pelo grupo de jovens.

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

Em Tunes, o bispo diocesano também agradeceu o modo como foi recebido e serviço realizado pelo padre Manuel Condeço, prior daquelas paróquias. “Foi muito bom para mim poder partilhar convosco a alegria de sermos membros da mesma Igreja, a alegria da nossa fé e a coragem do nosso testemunho. Queria agradecer o modo como fui acolhido. Foi uma semana muito bonita que passei com o vosso pároco. Quero agradecer todo o serviço que ele realiza nestas paróquias, todo o apoio que recebe de vós. Sempre que há uma visita pastoral, eu também cresço mais na fé”, destacou.

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

Ao longo da semana, o bispo do Algarve encontrou-se com os Conselhos Económicos paroquiais, visitou doentes, os lares de idosos de Algoz e da Guia e o agrupamento local do Corpo Nacional de Escutas, encontrou-se também com catequistas, pais e crianças da catequese, grupos de oração e de leigos [entenda-se, membros da Igreja não clérigos ou consagrados], grupos de apoio social a carenciados.

Ao longo do presente ano pastoral, D. Manuel Quintas visitará ainda as paróquias de Alcantarilha e Pêra, de 16 a 23 de novembro; de Armação de Pêra e Porches, de 1 a 8 de fevereiro; e de São Bartolomeu de Messines, São Marcos da Serra e Silves, de 1 a 15 de março.

O Código de Direito Canónico estabelece que os bispos têm a obrigação de visitar toda a diocese ao menos a cada cinco anos, podendo, em caso de necessidade, delegar essa tarefa no prelado coadjutor ou auxiliar, ou ainda num padre.

Pub