Pub

A feira insere-se no projeto “Charme”, fruto de uma candidatura a fundos comunitários que visa dinamizar o centro histórico da cidade, explicou à Lusa Joaquim Guerreiro, vereador da autarquia.

“A ideia é dinamizar o centro de Loulé, trazendo mais pessoas a esta zona da cidade”, refere, acrescentando que a recuperação do Cine Teatro Louletano, recentemente inaugurado, é outro dos projetos desenvolvidos neste âmbito.

As bancas com todo o tipo de iguarias feitas em chocolate convivem lado a lado com as tradicionais bancas de fruta, peixe e carne do mercado, atraindo muitos olhares curiosos numa manhã particularmente movimentada.

“Surgiu a feira de chocolate porque estamos no fim do inverno e só podia ser nesta altura não podia ser num período mais quente”, referiu à Lusa o presidente da empresa municipal Loulé Concelho Global, que gere o mercado.

Segundo Paulo Bernardo, a ideia foi levar para a feira sobretudo os produtores de chocolate locais embora também haja alguns regionais e até nacionais.

Além da demonstração de esculturas feitas em chocolate e da venda de tabletes e bombons de vários feitios e tamanhos, licores e espetadas de fruta e chocolate, entre outros, durante a feira haverá também animação cultural e musical.

Ao abrigo do projeto “Charme” a Câmara de Loulé vai ainda lançar em breve a iniciativa “Indústrias Criativas” um concurso de ideias que visa fixar na cidade actividades inovadoras.

Lusa

Pub