Pub

Foto © EPA/Sean Dempsey
Foto © EPA/Sean Dempsey

A Associação Empresarial da Região do Algarve (NERA) pediu ontem uma intervenção “mais forte, incisiva e permanente”, por parte das autoridades nacionais e regionais, para consolidar o mercado turístico do Reino Unido.

Em comunicado, o NERA considera que é importante que os empresários algarvios e nacionais “acompanhem este processo com toda a atenção, rejeitando atitudes pessimistas geradoras de conformismo e reagindo de imediato com ação”.

“O que está em jogo não é apenas o turismo e o Algarve, mas importantes interesses nacionais (…), com realce para o peso do turismo e da presença britânica no Algarve, que assume um papel relevante nessa batalha”, referem.

Uma das propostas do NERA, perante a vitória do ‘Brexit’ (saída britânica da União Europeia), consiste em “agir para consolidar o mercado turístico do Reino Unido”, sensibilizando o Governo e as regiões de Turismo “para uma intervenção mais forte, incisiva e permanente”.

De acordo com a associação, é preciso “enfrentar e responder com medidas adequadas às dificuldades que possam surgir na economia do turismo, nomeadamente uma eventual quebra cambial e uma retração na disponibilidade para viajar”.

Os empresários algarvios consideram ainda que é necessário “reforçar os laços e as relações com a comunidade britânica na região e criar um forte movimento de apoio e ação comum”, lê-se no comunicado.

Segundo dados do NERA, o Reino Unido é o quarto maior destino das exportações de Portugal – representando 9,5% do total das exportações -, com mais de 7.000 milhões de euros em 2015, 47% dos quais correspondem a bens e 53% a serviços.

Por outro lado, os turistas britânicos geraram mais de 2.000 milhões de euros de receitas em 2015, o que representa “um valor superior ao conjunto dos cinco principais grupos de bens exportados”, referem.

“O Reino Unido é o principal mercado turístico de Portugal: em 2015 gerou 8,3 milhões de dormidas (…) e o Algarve é o principal destino dos turistas britânicos em Portugal”, sublinham.

Segundo estimativas do NERA, cerca de 1.500 milhões de euros das receitas externas geradas pelos turistas britânicos em Portugal, ocorreram no Algarve.

Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido deve sair da UE, depois de o ‘Brexit’ (nome como ficou conhecida a saída britânica da União Europeia) ter conquistado 51,9% dos votos no referendo de quinta-feira.

Logo na sexta-feira, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou a sua demissão, com efeitos em outubro, e os líderes da UE defenderam uma saída rápida do Reino Unido.

O Conselho Europeu está a decorrer em Bruxelas para analisar os cenários pós-‘Brexit’.

Pub