Pub

Foto © Luís Forra/Lusa
Foto © Luís Forra/Lusa

As autoridades policiais retiraram às 11:30 as fitas que delimitavam o local onde o jovem desaparecido há mais de uma semana foi encontrado morto, em Portimão, o que indicia que o corpo já terá sido recolhido.

Após o levantamento do perímetro de segurança, os jornalistas e populares que estavam concentrados na zona de livre acesso deslocaram-se para as proximidades do local onde o corpo terá sido encontrado, mas ninguém se apercebeu da retirada do cadáver.

O corpo do rapaz, de 15 anos, foi descoberto pouco depois das 09:00 de hoje num terreno de ervas, mato e oliveiras, entre o sítio das Vendas e o Malheiro, no concelho de Portimão, junto ao hospital da cidade.

Dezenas de populares mantêm-se concentrados no local, no qual as autoridades policiais, apoiadas por técnicos de Medicina Legal, recolheram indícios para determinar em que circunstância terá ocorrido a morte.

O local onde o cadáver foi encontrado situa-se a pouco mais de 200 metros da habitação, junto a uma das principais entradas para Portimão, onde o jovem residia com a mãe, o padrasto e uma irmã bebé.

A PJ não adianta mais elementos, para já, que expliquem as circunstâncias em que ocorreu a morte e se o corpo apresenta sinais de violência, remetendo esclarecimentos para mais tarde.

O rapaz frequentava um curso de Cozinha na cidade vizinha de Lagoa, tendo faltado às aulas três dias antes de o seu desaparecimento ter sido comunicado, no dia 22 de fevereiro, pela mãe, às autoridades.

A mãe do jovem esteve no local, mas foi posteriormente levada por inspetores da Polícia Judiciária, alegadamente para as instalações da PJ de Portimão, desconhecendo-se se estará detida.

Pub