Pub

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A Câmara de Albufeira decreta três dias de luto pela morte do seu presidente, Carlos Silva e Sousa.

O autarca, de 60 anos, morreu hoje de madrugada vítima de doença súbita, que se suspeita ter sido enfarte do miocárdio, mas só após relatório médico será possível esclarecer a causa exata da morte do autarca.

Os três dias de luto municipal serão cumpridos a partir de hoje, 23 de fevereiro, procedendo-se à colocação da bandeira do município a meia haste nos edifícios municipais.

A Câmara Municipal refere em comunicado que “Albufeira perdeu um Homem Grande, íntegro e dialogante, alegre e generoso e, principalmente, sempre disponível para todos”. “Pelo seu exemplo de dedicação aos outros, à causa pública, pela sua invulgar cultura democrática e elevação pública, Carlos Silva e Sousa ficará sempre na memória de todos os albufeirenses, assim como de todos aqueles que tiveram o privilégio de o conhecer pessoalmente”, acrescenta o documento.

A autarquia realça que “o seu desaparecimento constitui uma perda irreparável para Albufeira” e manifesta o seu “pesar pela perda de um Homem Bom”. “Neste momento de dor para a sua família, para os funcionários deste Município e para a comunidade de Albufeira e do Algarve, a Câmara Municipal informa que se encontra a encetar todas as diligências inerentes a este momento de pesar e sobre as quais transmitirá a devida informação”, acrescenta.

Licenciado em Direito, Carlos Silva e Sousa tinha sido eleito em outubro pelo PSD para um segundo mandato à frente da autarquia, tendo antes desempenhado as funções de presidente da Assembleia Municipal de Albufeira durante três mandatos consecutivos.

Nascido a 13 de abril de 1957, foi ainda deputado na Assembleia da República e membro da assembleia intermunicipal da Comunidade Intermunicipal do Algarve.

Pub