Pub

José Estevens afirmou à Lusa que a Câmara de Castro Marim tem “uma situação financeira equilibrada, fruto de uma gestão rigorosa” realizada durante os seus cinco mandatos à frente do município, que irá destinar ao investimento 13,5 milhões de euros do total de 23,986 milhões.

Desta fatia, segundo informação avançada pela autarquia num comunicado, os principais investimentos serão feitos em abastecimento de água e saneamento básico, em acessibilidades e em cultura.

José Estevens disse que a autarquia tem “vários créditos relativos a fundos comunitários aprovados e que ainda não os recebeu”.

O responsável apontou também o contexto de perda de receitas próprias e provenientes do Estado no valor de “cerca de sete milhões de euros” em relação às verbas recebidas em 2012.

Muitos dos projetos previstos para 2013 integram o Plano de Investimentos Plurianual da câmara algarvia, que gere um concelho com muita área de serra e com núcleos populacionais dispersos.

No abastecimento de água e saneamento básico, a autarquia vai gastar 4,2 milhões de euros em 2013.

“Atendendo à importância de definir uma política coerente de uso dos solos e da gestão dos espaços, designadamente na delimitação e desenho das malhas urbanas, a câmara aprovou uma fatia de 1,8 milhões de euros do orçamento para o ordenamento do território”, referiu a autarquia.

Nas acessibilidades, “as Grandes Opções do Plano para 2013 dispõem de uma verba de 2,7 milhões de euros”, dos quais dois milhões serão destinados a “iniciar brevemente a obra de conclusão da Estrada Municipal Altura-Furnazinhas, numa extensão de 34 quilómetros”.

Na Cultura, a câmara vai manter a aposta no património histórico edificado, como o Forte de São Sebastião, recém-classificado como monumento nacional, como fator de desenvolvimento e de atração turística.

O município mantém também a sua aposta na promoção de eventos como os Dias Medievais, que atraem à localidade milhares de pessoas todos os anos.
Lusa

Pub