Pub

O investimento vai permitir intervir em nove casas de idosos que beneficiam de apoio domiciliário, ao abrigo do Programa de Conforto Habitacional para Pessoas Idosas (PCHI), acrescentou a Câmara algarvia.

O PCHI visa “o combate à pobreza e à exclusão, em especial de pessoas idosas, cujas habitações estejam degradadas e necessitem de intervenções, de modo a que estas permaneçam o mais tempo possível no seu ambiente natural”, segundo a informação avançada pela autarquia num comunicado.

“Trata-se de um investimento de 31.500 euros do Ministério da Solidariedade e da Segurança Social, que abrange a qualificação de nove habitações degradadas, mediante um protocolo celebrado entre a Câmara Municipal e o Instituto de Segurança Social, IP, cabendo ao Município os custos com a mão-de-obra das intervenções a realizar”, acrescentou a Câmara Municipal.

A autarquia de Castro Marim considera que esta medida tem um “grande alcance social”, por ser destinada a uma “faixa da população que tem necessidade de ser devidamente apoiada e acompanhada”.

Este segmento da população conta também com outros apoios sociais, como o Cartão do Idoso, “que permite a um número cada vez maior de castromarinenses ter benefícios na obtenção de medicamentos”, frisou a autarquia.

A aquisição de medicamentos é feita através de um protocolo celebrado com as farmácias do concelho e a autarquia disponibiliza ainda aos idosos transporte para consultas médicas, numa medida denominada “Castro Marim mais perto”.

Lusa

Pub