Pub

Mácario Correia, o presidente da autarquia, explicou que esta atribuição toponímica foi deliberada “pouco depois do falecimento” do sacerdote. “Todavia, larguíssimas dezenas de placas foram sendo adiadas, pese embora a atribuição formal estar em ata. Estamos agora a tentar pôr em ordem essas designações atribuídas”, justificou, considerando o cónego monsenhor Henrique da Silva “alguém que serviu Faro e farenses”.

O arruamento em causa é o que serve os Bombeiros Municipais de Faro entre a Avenida Cidade Hayward e a Estrada da Penha.

Também o padre António da Rocha, pároco daquela área da cidade, pertencente à paróquia de São Luís, se congratulou com o gesto da autarquia, lembrando que o homenageado “era um homem da cidade e um homem da cultura” que “ajudava, sobretudo, as pessoas dos escalões mais desfavorecidos”.

A cerimónia desta manhã, foi precedida por uma romagem à campa do cónego monsenhor Henrique da Silva, no Cemitério da Esperança, onde se encontra sepultado no talhão do clero.

Natural de Ferragudo, onde nasceu em 1925, o cónego monsenhor Henrique da Silva, foi igualmente, entre outras funções, vigário-geral da Diocese do Algarve e deão do Cabido da Sé de Faro.

Samuel Mendonça
Pub