Pub

Em comunicado enviado às redações, a autarquia lembra que o falecido sacerdote “fez obra social, criou instituições, gerou empregos e ajudou quem precisa”. “A sua memória e o seu exemplo marcou-nos de modo inesquecível”, refere o documento, lembrando “a convicção que impunha nas causas que abraçou e a forma aguerrida com que lutavas por elas”. “O concelho de Faro está hoje mais pobre com esta perda mas simultaneamente mais rico por ter privado e beneficiado da generosidade do padre Júlio Tropa Mendes”, acrescenta o comunicado.

“Todo o concelho se curva perante esta figura que alcançou um carinho, simpatia e reconhecimento transversal que foi muito além dos limites de Faro”, refere a edilidade, reconhecendo “incontornável” a “ligação e entrega às causas sociais” do sacerdote falecido. “Exemplo disso são as obras dos Centros Comunitários de Estoi e de Santa Bárbara de Nexe, pelos quais lutou quando muitos já consideravam a causa perdida e hoje, o concelho de Faro, conta com estas valências de apoio social”, refere o documento.

A autarquia, que lembra a atribuição ao falecido da Medalha de Mérito – Grau Ouro em 2002, recorda a “humildade” que caracterizava o sacerdote, a propósito da homenagem que lhe foi prestada em agosto passado pela Junta de Freguesia de Estoi. “Depois de teres feito o que devias fazer, considera-te servo inútil”, afirmou na altura, com base numa citação da Bíblia. “Para ele tudo o que fazia era parte do papel que assumiu perante Deus”, constata a Câmara de Faro.

A autarquia anuncia ainda, no seguimento de propostas das Juntas de Freguesia respetivas, a atribuição de toponímia ao sacerdote falecido, concretamente nos arruamentos “poente da aldeia de Santa Bárbara de Nexe”, que serve o Centro Cultural e Social, e “lateral norte da extensão do Centro de Saúde e que serve a futura Unidade de Cuidados Continuados”, em Estoi.

O corpo do sacerdote estará ainda hoje, por volta das 17.30h, em câmara ardente na igreja de Santa Bárbara de Nexe e o seu funeral será presidido pelo bispo do Algarve na próxima sexta-feira (27 de janeiro), pelas 15h, na mesma igreja. O padre Júlio Tropa Mendes será sepultado no cemitério de Santa Bárbara de Nexe.

Entretanto, esta noite será celebrada, pelas 21.30h, na igreja de Santa Bárbara de Nexe, uma missa de sufrágio pela alma do sacerdote que será presidida pelo cónego Gilberto Soares Santos.

Samuel Mendonça
Pub