Pub
Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

O presidente da Câmara Municipal de Faro, Rogério Bacalhau, disse hoje que espera que o troço principal da Variante Norte da cidade seja aberto no próximo mês, num processo que será “faseado”.

“Acho que aquilo vai abrir faseadamente, o que faz sentido. Tiveram de fechar uma parte porque não é possível construir com as pessoas a passar. Vamos ver se até ao mês que vem o troço principal abre, embora depois possam ficar ainda algumas situações para resolver”, afirmou à Lusa o autarca.

Rogério Bacalhau recordou que houve obstáculos detetados já recentemente, como “uma conduta de água muito grande, muita cablagem”, quer elétrica quer telefónica, ou seja, “há um conjunto de situações que à medida que vão aparecendo têm de ser ultrapassadas”.

Os trabalhos para concluir a segunda fase da variante intensificaram-se no começo do ano – afetando o trânsito na Estrada Nacional 125 (EN125), entre Faro e Olhão -, uma obra que permitirá retirar do centro de Faro uma média de 20 mil carros por dia, reduzindo filas de trânsito e engarrafamentos.

Além da construção da ligação à EN125, as obras da Variante Norte a Faro, com uma extensão aproximada de 2,5 quilómetros, implicam ainda a construção de três pontes, seis passagens superiores e uma passagem inferior.

A entrada em funcionamento da variante permitirá, ainda, restabelecer o tráfego em três vias municipais e em várias estradas de serviço.

A obra da Variante Norte a Faro arrancou em 2009 com um orçamento de 17 milhões de euros, mas foi suspensa em 2011, assim como toda a empreitada de requalificação da EN 125, por dificuldades financeiras do consórcio construtor.

A obra, da Infraestruturas de Portugal (que agrega a Estradas de Portugal), está a cargo da subconcessionária Rotas do Algarve Litoral, responsável, também pela construção das variantes de Lagos e do Troto (Almancil, no concelho de Loulé).

Pub