Pub

Na apresentação do Plano Estratégico Faro 2025, Macário Correia explicou que o objetivo do plano é “lançar ideias daquilo que pode ser Faro daqui a 12 ou 15 anos”, atualizando um documento elaborado na década de 1990 mas que ainda não fora ajustado.

“Estamos a atualizar esse documento, a introduzir sugestões e ideias. Não é um documento fechado, está aberto a sugestões e participação de muitas outras entidades. É uma forma de dizer que, ao longo dos últimos tempos, tem-se vindo a pensar e refletir no futuro de Faro”, acrescentou.

Macário Correia precisou que o objetivo é “fazer de Faro uma cidade onde dá gosto viver e o melhor centro administrativo do sul de Portugal”, aproveitando muitas das potencialidades do território, como a Ria Formosa, o porto comercial ou a existência de um aeroporto no concelho.

“Uma cidade capital moderna, à beira da Ria Formosa, com uma grande monumentalidade, tem trunfos importantes como o seu aeroporto, a sua boa relação na rede de transportes regionais e, desse conjunto, deve nascer uma cidade mais moderna, com melhores equipamentos”, frisou.

O autarca reconheceu que os tempos são de dificuldades económicas e que a Câmara e o Governo atravessam uma fase em que é difícil fazer investimento público devido à crise e às medidas de austeridades, mas defendeu que, quando esta situação for ultrapassada, “as coisas estão prontas e o planeamento realizado”, permitindo a sua aplicação no terreno.

“Com as coisas pensadas, pode nascer uma cidade planeada e não assistirmos à desorganização urbanística que se viu nas décadas em que a cidade economicamente cresceu, mas sem planeamento”, acrescentou

O autarca recusou, na ocasião, alongar-se em comentários sobre o pedido de suspensão de mandato que se prepara para apresentar, enquanto é apreciado um novo recurso sobre a sua condenação à perda de mandato.

"Até ao esclarecimento deste recurso, num gesto de boa e livre consciência, vou solicitar à próxima reunião ordinária da Câmara Municipal de Faro que me autorize suspender provisoriamente as funções de presidente de Câmara. Quero demonstrar a todos que me interessa mais a verdade e a justiça do que o poder pelo poder", revelou o autarca, em comunicado.

Macário Correia (PSD) considerou que os factos que levaram à condenação de perda de mandato mereceram "três decisões opostas entre si" dos vários tribunais que apreciaram o caso e relatou que o processo o faz "sofrer profundamente há cerca de três anos".

Lusa

Pub