Pub

Segundo aquele responsável, a “iniciativa cobre todo o concelho, incluindo as freguesias do litoral, nomeadamente junto à Quinta do Lago e de Vale do Lobo onde alguns moradores colocam, por iniciativa própria, placas sinalizando as suas moradias”.

Atualmente, as formas de indicação da localização das moradias não tem regras, pelo que uma sinalização uniforme torna mais rápido e simples o acesso da GNR às casas, aumentando a segurança.

O apelo à utilização de sinais e caixas de correio iguais está a ser lançado com maior ênfase nas zonas rurais uma vez que “é aí que há maior predominância de placas de sinalização de moradias, até porque as ruas não têm nome”, explicou.

Este é mais um passo que a autarquia está a dar no âmbito do projeto “Mancha Branca”, que arrancou em 2010 com a limpeza de áreas públicas grafitadas ou degradadas nas zonas urbanas do concelho com o objetivo de melhorar imagem do município.

Aníbal Moreno disse que a adesão às sugestões da autarquia é voluntária e não serão aplicadas penalizações a quem não aderir.

“Este é um desafio ao exercício da cidadania, onde esperamos ter a colaboração dos cidadãos, porque efetivamente o contributo deles terá reflexo na sua rua ou caminhos”, disse, acrescentando que espera ter a adesão da comunidade estrangeira residente.

Os CTT vão apoiar a iniciativa com a distribuição gratuita de informação nas residências da zona rural do concelho.

Lusa

Pub