Pub

A conferência, organizada pela Comissão Europeia em Bruxelas, reuniu diversos países da União Europeia com exemplos de boas práticas no setor e promoveu a discussão de medidas a implementar no decorrer do presente ano, abordando projetos já no terreno (como por exemplo o Plano Gerontológico de Monchique).

Para representar Portugal, estiveram presentes Joaquina Madeira, coordenadora das ações do Ano Europeu para o Envelhecimento Ativo e diálogo entre Gerações, João Pereira, representante da Associação Âncora, e Rui André, presidente da Câmara Municipal de Monchique.

Para Joaquina Madeira, “o trabalho que se está a desenvolver no Concelho de Monchique, corresponde a uma boa notícia para o desenvolvimento de um Concelho preocupado com o Envelhecimento Ativo e diálogo entre as Gerações”, referindo a necessidade de se elaborar um Livro Branco para o Envelhecimento Ativo ou uma definição de estratégia conjunta, com suporte em ação legislativa, que permita uma elaboração de planos de ação, responsabilizando os atores políticos para esta temática.

O edil de Monchique afirma que “assumir pessoalmente e politicamente o envelhecimento (que todos sabemos é um dos nossos problemas chave do Concelho de Monchique, bem como a reduzida resposta de equipamentos e valências neste setor), como uma oportunidade de desenvolvimento, pressupõe planear e desenvolver ações estratégicas de forma a integrar e a potenciar os recursos existentes no concelho, assumindo este como um catalisador para a economia local.”

“Estar presente na Comissão Europeia e mostrar aos parceiros europeus o que estamos a implementar no Concelho de Monchique, para além de motivo de orgulho para todos nós, é ele também fator de visibilidade e promoção de Monchique no exterior. Não tenho dúvidas de que Monchique será mais procurado e que o mesmo será um incentivo para todos os parceiros locais de implementação desta estratégia, para além dos investidores deste setor, atuais e futuros, que possam encontrar em Monchique condições excecionais para a promoção de políticas e projetos de qualidade de vida e envelhecimento ativo, tanto no âmbito turístico como até na procura residencial”, concluiu.

Pub