Pub

Foto_conego_firmino_ferro2A Câmara de Silves emitiu uma nota de pesar pelo falecimento do cónego Firmino Ferro, ocorrido esta madrugada.

O documento da autarquia, enviado aos órgãos de comunicação social, destaca não só os quatro anos em que o sacerdote foi pároco coadjutor de Silves, mas sobretudo os 16 “longos anos”, de 1989 a 2005, em que ali foi pároco. “A sua ligação à cidade é pois, longa e marcou muitas gerações de silvenses, que por ele foram casados, batizados e encaminhados na fé cristã. Deixa memórias e atos que perpetuarão a sua memória junto da população e dos órgãos da administração local, com quem sempre colaborou ativamente”, refere a nota.

O município apresenta ainda “sentidas condolências” à Diocese do Algarve e a todos os familiares diretos do cónego Firmino Ferro.

O sacerdote, de 72 anos, que sofria de miastenia – doença neuromuscular que lhe foi diagnosticada há cerca de seis meses e que lhe causava fraqueza e fadiga anormalmente rápida dos músculos da deglutição e da respiração – faleceu no Paço Episcopal de Faro, onde residia.

O corpo do falecido estará hoje, a partir das 16h, em câmara ardente na Sé de Faro, sendo celebrada pelas 19h uma missa presidida pelo bispo do Algarve. Amanhã, pelas 15h, será realizado o funeral, com a missa exequial também presidida por D. Manuel Quintas. Dali, o féretro seguirá para o Cemitério de Esperança, em Faro, sendo o corpo do sacerdote sepultado no talhão do clero.

Pub