Pub

"Em conjunto com a Segurança Social estamos a fazer tudo para apoiar e realojar as famílias de menores recursos e mais carenciadas", assegurou o autarca Adelino Soares (PS).

Cerca de 15 famílias do Bairro Social Encosta do Sol, no concelho de Vila do Bispo (Algarve), foram notificadas para abandonarem nos dias 09 e 10 de julho, as casas da cooperativa de habitação social que ocuparam há 20 anos, na sequência de um processo judicial movido pelo Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU).

Segundo Adelino Soares, as famílias com "maiores dificuldades estão identificadas e serão apoiadas pelo município e pela Segurança Social".

A construção das 68 moradias destinadas a habitação social da cooperativa do bairro Encosta do Sol iniciou-se em 1998, em terrenos cedidos pela autarquia e foi financiada pelo ex-Fundo de Fomento de Habitação.

Um dos moradores, notificado para abandonar a casa, explicou à Lusa que as casas em questão "foram ocupadas ilegalmente, depois de várias divergências com os dirigentes da cooperativa".

"Sabíamos que estávamos ilegais, mas sempre procurámos resolver a situação com o INH e posteriormente com o IHRU, só que nunca nos foi dada qualquer opção", alegou José Fernandes.

Segundo aquele morador, inicialmente, as casas destinavam-se para arrendamento a custos sociais aos cooperantes por um prazo de 25 anos, com opção de compra.

"Depois de algum tempo, a direção da cooperativa comunicou que não haveria arrendamento, mas sim a venda das moradias", explicou.

Acrescentou, que face à impossibilidade de obterem crédito bancário para a aquisição dos imóveis, "alguns cooperantes decidiram ocupar as casas que, em princípio, lhes estavam destinadas".

"Nunca pagámos qualquer renda porque nunca nos foi dada alternativa à compra, mas sempre manifestámos a intenção e efetuar pagamentos de acordo com as nossas possibilidades, em todos os contactos e negociações que mantivémos com o IHRU", sublinhou.

"Queremos ficar nas casas que habitamos há mais de 20 anos, mas o Estado não nos dá alternativa para pagarmos uma renda devido às dificuldades em obter crédito bancário", lamentou José Fernandes.

Entretanto, o Partido Comunista Português de Vila do Bispo solidarizou-se para com os moradores do bairro social Encosta do Sol, e prometeu questionar o Governo que medidas irá tomar a fim de evitar o despejo dos moradores.

Apesar de várias tentativas, a agência Lusa não conseguiu obter esclarecimentos sobre o caso, nem do IHRU nem da Segurança Social de Faro.

Lusa
Pub