Pub

Em comunicado, a autarquia refere que os munícipes podem colocar nos equipamentos roupa e calçado usados, que serão recolhidos semanalmente pela associação.

Parte do que é recolhido destina-se a apoiar projetos humanitários, designadamente em países como a Guiné-Bissau e Moçambique.

Parte da roupa será ainda vendida a preços acessíveis aos comerciantes locais e também a lojas de roupa de segunda mão em Lisboa, revertendo para projetos humanitários.

Lusa

Pub