Pub

O objetivo é, segundo José Estevens, melhorar a estética arquitetónica da vila histórica algarvia no âmbito de “um projeto mais amplo que englobou já intervenções de conservação das antigas estruturas militares da cidade, como o Forte de São Sebastião” e a “recuperação do revelim [pequena fortificação] de Santo António e requalificação de toda a colina onde este está situado”.

“É uma operação que passa por fornecer por via cabo o sinal dos canais que estão disponíveis por via hertziana, de modo gratuito, e, como contrapartida, pedimos às pessoas que nos deixem retirar as antenas que têm nos telhados”, explicou José Estevens numa entrevista à Lusa.

O autarca acrescentou que, com a intervenção da autarquia, se vai “passar a ter outra vista sobre Castro Marim, uma vila com uma certa harmonia em termos de arquitetura”, que tem uma característica “ingénua, popular, sem elementos demasiado vincados”.

“No início do verão teremos essa operação concluída e teremos libertado os telhados de Castro Marim das antenas que os vêm escravizando e nos vêm dando uma nota de paisagem menos estética”, assegurou.

O presidente da autarquia disse ainda que o custo desta operação é de cerca de 100 mil euros.

Lusa

Pub