Pub

“Os números são absolutamente surpreendentes. 2000 a 2500 pessoas, na primeira semana, quando tudo isto é novidade ainda, a visitar estas igrejas, é muito surpreendente para mim, como presidente de câmara, e para aqueles que trabalham neste setor (turismo) e vêm que há uma grande adesão”, afirmou Jorge Botelho.

Junto à igreja da Misericórdia, no centro da cidade, o autarca disse à Lusa que esta é uma das “10 igrejas e capelas que estava fechadas e estão agora abertas, permitindo que, nos primeiros quatro dias do programa, mais de 1500 pessoas andassem por aí de uma igreja para outra, saindo de Tavira mais enriquecidos”.

“Esperamos que na primeira semana 2000 a 2500 pessoas possam visitar estas igrejas. Os números são muito positivos. Havia muita gente que se lastimava porque as igrejas de Tavira, que queriam visitar e integravam os roteiros turísticos, estavam permanentemente fechadas. E isso era uma enorme dificuldade para quem atua no setor turístico como profissional e para quem cá está de férias e queria visitar este património”, afirmou Jorge Botelho.

O presidente da câmara algarvia frisou que “o programa de abertura das igrejas é singelo, mas muito importante para o município”, porque vem ao encontro de um desejo antigo “agentes políticos, turísticos, pessoas de Tavira e das próprias comunidades religiosas, que tinham sempre demonstrado a preocupação e a necessidade de abrir este património aos visitantes”.

“Somos uma cidade de turismo, uma cidade religiosa e este programa está a possibilitar que muita gente leve de Tavira uma excelente referência do valiosíssimo património que nós temos “, afirmou Jorge Botelho, referindo-se às cerca de duas dezenas de templos religiosos católicos existentes na cidade.

O autarca explicou que a abertura das igrejas, entre as 10:00 e as 12:30 e as 15:00 e 18:00, foi consumada através de um protocolo celebrado entre o Município e a Ordem Terceira de Nossa Senhora do Monte do Carmo, a Ordem Terceira de São Fracisco de Tavira e as paróquias da igreja matriz de Santa Maria do Castelo e de Santiago, utilizando o programa “Tavira, Férias Ativas”, destinado a jovens do concelho.

Jorge Botelho acrescentou que foram selecionados jovens maiores de 16 anos para abrirem os templos e tomarem conta do património existente nas igrejas, o que permitiu “constituir verdadeiramente um roteiro religioso”, que pode ser visitado com guias disponibilizados pelo Turismo da cidade e em roteiros elaborados pela câmara através do seu museu municipal, desde 12 de Julho até 03 de setembro.

O programa, além das igrejas de Santa Maria do Castelo e da Misericórdia, as de Santiago, Carmo, São Francisco, São Paulo, Nossa Senhora da Consolação, Nossa Senhora da Soledade, Santana e São Sebastião, metade das cerca duas dezenas de templos religiosos católicos que ao longo dos séculos foram construídos na cidade.

Jorge Botelho defendeu ainda que o programa vai permitir também que os visitantes circulem mais pela cidade, ficando a conhecer melhor o seu património e trazendo benefícios para a economia local.

Lusa

Pub