Pub

A palestra será proferida por Francisco Pereira, psiquiatra do Hospital de Faro, e é dirigida a profissionais de saúde e à população em geral, que muitas vezes padece deste tipo de doenças do foro psicológico “frequentemente subdiagnosticadas e submedicadas”, explicou à Lusa o presidente da Câmara de Alcoutim, Francisco Amaral, que também é médico.

“É uma doença da moda. Hoje em dia, se fizermos uma análise aos medicamentos mais vendidos, verificamos que são os antidepressivos. E com esta crise económica e social, estas doenças vão disparar em flecha, aumentando ainda mais o número de depressões e a taxa de suicídios, que já é alta no interior do Algarve e no Alentejo”, afirmou o autarca.

Francisco Amaral sublinhou que, “enquanto a taxa de suicídio nestas regiões é elevadíssima, no norte do país é raro haver suicídios”.

O autarca alertou para a necessidade de as pessoas que padecem desta doenças serem diagnosticadas, a fim de serem medicadas convenientemente, para a existência de “muitas pessoas com depressão a andar na rua sem saber” e para a dificuldade de “identificar os sintomas e relacioná-los com a doença”.

De acordo com o responsável, “há também muitas pessoas que têm depressões e estão submedicadas, porque não tomam as doses adequadas para o seu problema. Muitas vezes são os médicos que têm dificuldade em identificar a doença e noutros casos são os próprios doentes que vão uma vez ao médico e não voltam lá ou então saltam de um clínico para outro sem haver continuidade nos tratamentos”.

Por isso, segundo Francisco Amaral, é necessário informar os profissionais de saúde e os doentes para prevenir esta doença mental e adequar tratamentos.

“Se for uma depressão menor pode ser tratada por um médico família, mas se for uma maior já deve ser tratada por um psiquiatra. Em casos graves e em que haja a mínima suspeita de suicídio deve haver logo um internamento, porque muitas vezes as doenças só são detetadas demasiado tarde”, justificou.

Alcoutim localiza-se na serra do nordeste algarvio, é o concelho com população mais envelhecida e um dos mais desertificados de Portugal. A câmara teme que “a instalação da crise económica e social no país origine um aumento exponencial de doenças do foro psicológico, como a ansiedade e a depressão, assim como um aumento da taxa de suicídio”.

A palestra, a realizar no Centro de Dia da freguesia de Martim Longo, é organizada pelo Gabinete de Ação Social, Saúde e Educação do município de Alcoutim.

Lusa
Pub