Pub

"Consciente das necessidades habitacionais do concelho de Vila Real de Santo António, o atual executivo camarário [social democrata] procederá também à entrega dos 40 fogos, já construídos para arrendamento em Monte Gordo, logo que estejam ultimados todos os detalhes do processo de entrega", afirmou ainda o executivo, num comunicado.

O comunicado da autarquia foi divulgado um dia depois de a concelhia do PS se ter afirmado “indignada” por o executivo “ainda não ter procedido à entrega dos 40 fogos, em Monte Gordo, praticamente um ano após a sua conclusão”.

"Adicionalmente, a câmara municipal aguarda resposta ao pedido de financiamento solicitado ao abrigo do programa Prohabita para a aquisição de mais 40 fogos, que serão disponibilizados, a custos controlados, aos munícipes", disse o executivo presidido por Luís Gomes.

O autarca manifesta a sua "indignação" face ao posicionamento socialista e sublinhou que, “quando o PS esteve à frente da autarquia, apenas construiu 160 fogos para atribuição aos munícipes, sendo que os mesmos foram construídos no ano de 2001 e apenas entregues no ano de 2004”.

Luís Gomes afirmou ainda que este tema sempre foi uma preocupação sua e foi durante o seu mandato que "mais fogos foram construídos – cerca de 474 – para combater a precariedade de habitação no concelho".

Os socialistas sublinharam que este atraso na entrega das casas “está a obrigar 40 famílias contempladas a continuar a viver em deficientes condições”, assegurando que vão trabalhar para que “a entrega dos fogos seja imediata”.

O PS advertiu ainda a câmara para “aumentar significativamente o número de fogos a atribuir à população inscrita, tendo em conta as carências de habitação que se verificam no concelho e, em particular, em Monte Gordo”.

"O presidente da câmara concorda e afirma que é de extrema importância o reforço desta necessidade, dada a situação precária que é vivida por alguns dos cidadão Vila-realenses. No entanto, não se entende a atual preocupação do PS, uma vez que foi o Governo deste partido que recentemente reprovou o financiamento do aumento de casas para arrendamento", justificou Luís Gomes.

O presidente da câmara de Vila Real de Santo António realçou ainda que “o Partido Socialista, quando perdeu o mandato na autarquia para a CDU em 1993, deixou 72 fogos por acabar no concelho, estando o atual executivo a saldar as dívidas contraídas há 17 anos para o efeito”.

Lusa

Pub