Pub

"Esta é a quarta edição da bienal de poesia, evento que, para nós, autarquia, cidade e concelho é extremamente importante porque trás a Silves muitos artistas, poetas, pintores e músicos. Estamos a falar de campos da criatividade e o interesse é continuar a apostar nesta bienal e fazer dela um evento de referência a nível nacional", afirmou a vereadora da Cultura da Câmara algarvia, Manuela Guerreiro.

Em declarações à Agência Lusa, no dia de abertura do encontro, que decorre até domingo na biblioteca municipal de Silves, a vereadora sublinhou que, "além da poesia, a bienal conta também com música e com pintura através de concertos e exposições que também integram o programa".

Do programa, a autarca salienta, a comemoração, na sexta-feira, do segundo aniversário da biblioteca municipal, durante a qual será apresentado às 14:00, e pelas 18:00 será apresentado o novo livro de Maria Azenha, “Do Amor Ardem dos Bosques".

Do programa de sábado Manuela Guerreiro frisou a mesa redonda que tem início às 15:30 sobre “Ritmos e imagens a partir de palavras escritas", com Bruno Santos, Fernando Aguiar, Nuno Júdice, Teresa Tudela, Jorge Velhote, Eduardo Pitta, entre outros, e às 18:30 "uma Homenagem a Pedro Tamen", por Maria do Sameiro Barroso.

Para o último dia está marcada a apresentação de "Poemas Portugueses – Antologia de Poesia Portuguesa do Século XII ao século XXI", da Porto Editora, com seleão de Jorge Reis-Sá e Rui Lage, assim como o espetáculo de encerramento, às 22:00, os Lobos, de Maria Toscano.

Lusa

Pub