Pub

João Calão, membro da Junta Regional do Algarve do CNE, explicou à FOLHA DO DOMINGO que esta iniciativa procurou também responder a uma solicitação dos próprios Caminheiros algarvios. “Num encontro regional de Caminheiros, realizado o ano passado, pediram que se fizesse uma atividade que permitisse que se conhecessem entre eles”, explicou o dirigente, acrescentando que “uma das características deste grupo é ser muito novo”. “São caminheiros muito jovens e faltava um entrosamento entre eles”, observou, reconhecendo que a IV secção tem um “aspeto negativo” relacionado com o facto de haver “muito poucos agrupamentos algarvios com clã [grupo de Caminheiros] em funcionamento”. No Algarve, os Caminheiros são cerca de 70. A quebra acentuada nesta faixa etária prende-se sobretudo com a saída da região para ingresso na universidade, mas também com o surgimento de outros interesses nos jovens.

Tendo partido ontem de manhã da estação de Faro, os cerca de 60 Caminheiros algarvios participantes seguiram de comboio até à Conceição de Tavira com um tijolo cada um que mais tarde serviria para a redistribuição por grupos pequenos. Esses grupos realizaram uma caminhada de cerca de sete quilómetros até Tavira com momentos de reflexão, convívio e tarefas a cumprir indicadas por mensagens de telemóvel.

Os pequenos grupos, solicitados a evangelizar «comunidades» por onde São Paulo passou, percorreram trilhos diferentes e tiveram de passar por pontos diversos onde foram convidados a realizar tarefas relacionadas com o apóstolo seu patrono. Ao longo do percurso foram-se juntando em grupos maiores (equipas e, posteriormente, clãs) e convergiram para a igreja de São Paulo.

Na igreja foram convidados a preparar uma reflexão com vista à rescrição das «cartas de São Paulo» para os dias de hoje que tivessem como destinatárias comunidades algarvias.

Da igreja rumaram ao Pavilhão Municipal Dr. Eduardo Mansinho, onde pernoitaram, tendo realizado ali o convívio que terminou com a celebração da Eucaristia, presidida pelo Bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, onde foram apresentadas as novas «cartas paulinas» escritas anteriormente.

Hoje de manhã, os Caminheiros tomaram contacto com o Cenáculo, por parte de um grupo que o está a preparar. Trata-se de um espaço de partilha e reflexão para a IV secção do CNE, que funciona a nível nacional, promovido por Caminheiros para Caminheiros, embora supervisionado por alguns dirigentes. Todos os anos é selecionado um tema para desenvolvimento e reflexão e são convidados representantes de todas as regiões do país a participar nessa partilha. O resultado da reflexão nacional é trazido para cada região para a realização de um Cenáculo regional. Embora já se tivesse querido implementar esta iniciativa no Algarve, ela nunca chegou a ter sucesso. João Calão destaca que a solução pode passar pela implementação de “regras e acompanhamento”.

Samuel Mendonça

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Pub