Pub

O Dia de São Paulo, realizado pela Junta Regional do Algarve do CNE através do seu Departamento Regional da IV Secção, entre 25 e 27 de janeiro, foi constituído por uma caminhada que teve início no concelho de Silves e terminou nas Fontes de Estômbar, no vizinho concelho de Lagoa, onde os participantes montaram acampamento.

A organização quis enquadrar no imaginário da atividade, não só a conversão de São Paulo, conteúdo pedagógico da IV secção escutista, mas todo o relato dos Atos dos Apóstolos. A iniciativa dividiu-se, então, em três partes. Numa primeira foi invocada a apresentação da Igreja em Jerusalém, a comissão dos Apóstolos, a fundação da Igreja de Jerusalém, a descida do Espírito Santo, a conversão de Saulo de Tarso e a chamada de Paulo. Seguidamente abordou-se as três viagens missionárias de Paulo e por último, foi feita referência à prisão de Paulo em Jerusalém, Cesareia e Roma.

No contexto das viagens missionárias de São Paulo e do lema de Caminheiros e Companheiros – servir –, realizou-se uma ação de serviço pelas falésias, entre a Ponta do Altar (Ferragudo) e o Carvoeiro, que consistiu na identificação e marcação de um percurso pedestre com sinalética internacional. Para o efeito foram elaborados pequenos azulejos pelos próprios Caminheiros e Companheiros que depois foram aplicados em pequenos marcos executados por aqueles escuteiros. Foi igualmente produzido e colocado, junto ao farol da Ponta do Altar, um painel informativo sobre o trilho identificado, que ficará para memória futura da atividade e que ajudará caminhantes vindouros.

Os Caminheiros e Companheiros distribuíram-se por tribos, cada uma com o nome de um dos apóstolos de Jesus, e os seis dirigentes formaram a tribo “Apóstolo Barnabé”. Na organização estiveram envolvidos mais seis dirigentes, que prepararam a atividade desde outubro passado, e que formaram a tribo “Apóstolo Ananias”. A organização contou ainda com a colaboração do padre Carlos de Aquino, também membro do Departamento Regional da IV Secção, que fez a introdução ao imaginário na Sé de Silves e do padre António de Freitas, assistente regional do CNE, que presidiu à eucaristia campal com que a atividade terminou.

“Este Dia de São Paulo ficará na memória de todos, tanto pela riqueza do imaginário desenvolvido, como pela marca que cada um deixou, designadamente na atividade de serviço. E só foi possível graças ao empenho de quem o organizou, mas também à vontade de o viver que todos os participantes demonstraram”, considerou a organização.

O CNE comemora o Dia de São Paulo a 25 de janeiro por ser a data em que a Igreja Católica evoca a conversão do apóstolo.

Pub