Pub

A propósito da proposta, disponível para download no Portal da Diocese do Algarve, aquele serviço da pastoral da Igreja algarvia explica que se pretende, para além do habitual envolvimento da catequese e da comunidade, uma “participação ativa” familiar. A campanha prevê então semanalmente a sua concretização em três momentos: na família, na catequese e na comunidade.

“Embora preparada e orientada pelos catequistas, quer envolver a família, pois sem ela, a catequese não chegará a atingir os objetivos que nos propomos: uma comunicação da fé que seja feita vida”, explica o Setor Diocesano da Catequese da Infância e Adolescência (SDCIA), acrescentando que a finalidade é “ajudar os catequizandos a aprofundarem e viverem a Palavra, confrontando-a com a sua vida, orientada para a oração e respetivo compromisso”.

O SDCIA lembra que “a Quaresma é um tempo de preparação para a grande festa” em que os cristãos celebram Cristo ressuscitado. “A Quaresma é um tempo de aprendizagem, no qual nós, os cristãos, exercitamos o esforço, sabendo que Alguém caminha connosco e nos alimenta com a Palavra e o Pão, nos ilumina com a Sua Luz e nos conforta com o Seu Amor. É um tempo privilegiado de conversão, tempo de deixarmos que o Senhor nos purifique e renove o nosso coração. É um tempo de apelo, em que Deus nos chama a escutar a Sua Palavra, a uma relação mais forte com Ele pela oração e pelo compromisso de vida”, acrescenta a campanha.

Com recurso a vários elementos simbólicos, a campanha apresenta-se como uma “proposta”, estende-se desde a Quarta-feira de Cinzas até ao domingo de Páscoa e sugere que, cada comunidade, faça a “adaptação necessária à sua realidade”.

A Quaresma é o período de 40 dias de preparação para a Páscoa.

Samuel Mendonça

Pub