Pub

«A mensagem central para o futuro é de união e congregação de esforços para o combate aos problemas e desafios que enfrentamos e que nos aguardam no pós-pandemia», afirmou Alexandra Rodrigues Gonçalves, Diretora da Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo da Universidade do Algarve e Professora Adjunta da Universidade do Algarve (UAlg), na primeira de várias conversas com personalidades algarvias, que assinalam o 15º aniversário da Capelania da Universidade do Algarve.

Abordando os “Desafios de uma Região em mudança – A dimensão do Turismo”, Alexandra Gonçalves salientou que este é um tempo de «total reconfiguração das economias, dos nossos comportamentos e das várias áreas: do turismo, à economia, às tecnologias à saúde», e que «nada voltará a ser como dantes», pois «a tecnologia e digitalização entraram nas nossas vidas para permanecer», ainda que, diga, «o ser humano precisa do contacto, de sentir, de cheirar e está ansioso por voltar a encontrar o outro em presença».
A encíclica do papa Francisco Laudato si´ e os desafios dos valores do consumismo e das alterações climáticas associadas às mudanças que a crise pandémica nos tem revelado foram, igualmente, tema de conversa, assim como a redescoberta do outro, das paisagens, dos territórios, do interior que começam a acontecer. «Os jovens, pela sua criatividade e capacidade de inovar, possuem um enorme potencial para contribuir nesta reconfiguração do pós-pandemia», referiu a docente da UAlg, reforçando que esta característica pode ser uma mais valia num tempo em que «a incerteza e a insegurança do amanhã» revelam uma profunda necessidade de «encontrar respostas», bem como de «reforçar outras atividades económicas na região». Disse Alexandra Rodrigues Gonçalves que «os tempos de transição vão ser difíceis e o esforço na área dos serviços vai ser muito grande. A falta de rendimento de muitas famílias, as questões sociais e psicológicas relacionadas com os efeitos da pandemia vão levar algum tempo para ser ultrapassadas», o que aliás se comprova com os dados que vêm sendo apresentados a público por instituições como a Caritas Diocesana.

O Capelão da Universidade do Algarve, Vigário-Geral da Diocese do Algarve, Cónego César Chantre recordou que a Universidade e a Capelania são espaços de encontro de culturas, de religiões, de etnias e não de guerras. «Jesus Cristo está acima de tudo e veio para nos unir» afirmou, salientando que «o diálogo cultural é fundamental perante a tempestade que estamos a viver».

Esta primeira conversa decorreu no passado dia 27 de fevereiro, sendo moderada pelos
alunos Rodrigo Freitas e Beatriz Roldão. A partilha, a união de esforços e a fraternidade estarão também presentes no próximo dia 6 de março, no V Encontro Nacional de Docentes e Investigadores, que terá como orador principal D. Manuel Clemente, sob o tema dos “Diálogos e Valores no Ensino Superior “à luz da encíclica papal Frateli Tutti.

Pub