Breves
Inicio | Igreja | Casal da Canção Nova testemunhou a importância da oração conjugal e a misericórdia de Deus

Casal da Canção Nova testemunhou a importância da oração conjugal e a misericórdia de Deus

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

Ricardo e Eliana Sá vieram ao Algarve no passado fim-de-semana para, em dois encontros promovidos pelo Renovamento Carismático Católico algarvio, testemunhar a importância da oração conjugal e apresentar a experiência da misericórdia de Deus na sua vida.

O casal de brasileiros, membros da Comunidade Canção Nova (CCN), apresentou no sábado um guia prático de oração conjugal que resultou da sua própria experiência.

No encontro para casais, que teve lugar na casa de retiros de São Lourenço do Palmeiral, na paróquia de Alcantarilha, Ricardo e Eliana Sá explicaram que a descoberta da importância de rezar em casal resultou da sua caminhada cristã. “Tendo compreendido a importância de cultivarmos uma experiência de oração pessoal e de levar isso a sério na vida cristã, passámos por problemas que nos levaram à necessidade de experimentar uma oração conjugal. Passámos então a conversar sobre o que rezaríamos juntos, depois a rezar juntos e de seguida a tomar nota daquilo que rezávamos juntos”, explicou Ricardo Sá ao Folha do Domingo, acrescentando que esta experiência levou à edição do livro intitulado “Quando casal reza”, publicado em 2007 no Brasil, contando já com mais de 25 edições naquele país e que agora chegou a Portugal.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

“A ideia foi compartilhar uma experiência na nossa caminhada como cristãos que foi muito importante. É um convite para que o casal, a partir das realidades mais simples e corriqueiras do dia a dia, ao final de cada dia, transforme essas experiências da vida numa oração”, complementou Ricardo Sá sobre a publicação que “ajuda a que o casal saiba o que fazer quando se reúne para rezar” e que está estruturada com 31 temas, um para cada dia do mês, tendo tido já sequência num segundo livro intitulado “Oração em Família”.

“Praticamente todos os dias, antes de dormir, já deitados, rezamos. Damos as mãos ou abraçamo-nos e perguntamo-nos o que vamos rezar. Fazemos então uma oração em voz alta e também uma partilha muito sincera sobre aquilo que pensamos um do outro, a propósito daquilo que estamos a viver”, contou o marido, confessando que “não foi fácil chegar a este ponto”. “É muito exigente. É difícil rezar como casal, tal como também é difícil levar a sério uma vida de oração sozinho. A dois é mais exigente porque exige o compromisso de ambos. É preciso pensar que a oração, de facto, é uma coisa muito importante e uma maneira muito prática de colocarmos Deus em primeiro lugar na nossa vida. Portanto é uma tarefa exigente, mas muito frutuosa”, acrescenta.

Ricardo Sá adianta que, “mais do que se identificarem com a dificuldade de conseguirem fazer oração conjugal, os casais algarvios identificaram-se com essa necessidade”. “Ficaram também um pouco surpreendidos porque são casais que já fazem uma caminhada cristã. Cada um já tem um compromisso pessoal de levar a sério a vida de oração. No entanto, foram surpreendidos porque também constataram a necessidade de começar a fazer essa experiência em casal”, refere sobre os 12 casais participantes.

João Luiz, responsável da CCN em Portugal, constatou que o “grande desafio” dos dias de hoje nesta questão prende-se com “o casal poder ter tempo para rezar”. “O grande desafio é a perseverança e o guia orienta bem como pode ser a vida do casal que se dispõe a rezar, tendo sido exemplificada uma dinâmica para que cada casal possa ter um momento durante o dia para o fazer”.

No domingo, o casal de missionários da CCN participou também no “Dia de Louvor” que teve lugar no Centro Paroquial e Social de Loulé, destinado não apenas a casais mas a todas as pessoas.

A iniciativa, subordinada ao tema “Discípulos da Misericórdia”, visou apresentar uma devoção particularmente querida há mais de 25 anos do Renovamento Carismático Católico e da CCN e que agora ganhou novo protagonismo com a promulgação do papa Francisco do Jubileu da Misericórdia (dezembro 2015 – novembro 2016): a devoção a Jesus Misericordioso e à Divina Misericórdia, ligada às revelações a Santa Faustina Kowalska (1905-1938), religiosa polaca canonizada por São João Paulo II em 2000.

O encontro contou, de manhã, com duas palestras testemunhais de cada um dos membros do casal a respeito da sua experiência e da de outras pessoas na devoção de Jesus Misericordioso. Ricardo e Eliana Sá, que transmitiram também o que constituiu as revelações de Jesus a Santa Faustina desde 1931, abordaram ainda a questão das obras de misericórdia corporais e espirituais a que o papa Francisco exorta. “Estamos reunidos aqui para apresentarmos a devoção a Jesus Misericordioso, mas, acima de tudo, para experimentarmos Nosso Senhor que quer chegar, cada vez mais, perto de nós com a sua misericórdia”, afirmou Ricardo Sá.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

De tarde houve também o habitual momento de adoração ao Santíssimo Sacramento e de recitação do chamado ‘terço da Divina Misericórdia’, tendo o encontro sido concluído com a celebração da eucaristia.

O casal de missionários, designados recentemente para integrar a Casa de Missão da CCN em Roma, teve ainda esta semana um encontro em Londres com a comunidade brasileira e amanhã estará em Fátima para outra iniciativa no Centro Pastoral Paulo VI igualmente subordinada ao tema “Discípulos da Misericórdia”.

O Renovamento Carismático Católico conta no Algarve com 18 grupos, de Lagos a Vila Real de Santo António.

Verifique também

Há 60 anos falecia em acidente de viação o padre José Gomes da Encarnação

Cumprem-se hoje 60 anos da trágica morte do padre José Gomes da Encarnação, antigo administrador …